segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Juazeiro 2012: Medalha de Ouro para a Iniciativa Privada


Juazeiro termina o ano de 2012 concedendo uma merecida Medalha de Ouro para a Iniciativa Privada pelo muito que fez em prol do desenvolvimento do município. Empresários daqui e principalmente de fora acreditaram (e acreditam) no potencial de Juazeiro e investiram pesado, transformando a cidade num pujante canteiro de obras. A cidade não para de crescer. A verticalização está em franca expansão. O ensino superior a todo vapor. Embarques e desembarques no aeroporto batem recordes. As romarias não param de chegar. Grandes grupos nacionais e internacionais aqui abrem suas filiais e fazem bons negócios. Nunca se gerou tanto emprego e se arrecadou tanto imposto como em 2012! Mas, lamentavelmente a cidade chega também ao fim de 2012 com muitos problemas antigos sem solução (saneamento, falta dágua), aumento da criminalidade, trânsito caótico, saúde e educação com desempenhos pífios,  obras públicas inacabadas e  outras  anunciadas e sequer iniciadas. Senão, vejamos. Estão inacabadas entre outras, as seguintes obras: a praça em frente ao Teatro Marquise Branca; a capela ao ar livre na Praça do Socorro; o estacionamento dos ônibus de romeiros;  a Praça do Centenário; o Roteiro da Fé; o Centro de Multiuso e o anel viário. Dentre as que foram anunciadas e sequer iniciadas figuram: a Avenida Beira-rio; os portais de entrada da cidade (só um foi construído e muito feio); a Pousada Comunitária; o Museu da Cidade; o teleférico do Horto e o segundo Restaurante Popular. O prefeito Manuel Santana deixa o cargo e será injustiça dizer que ele nada fez pelo município. Claro que poderia ter feito muito mais, quando se leva em conta o volume da arrecadação de tributos e ainda o fato de ter tido como aliados os governos estadual e federal. É inegável que ele construiu praças, escolas, postos de saúde, criou a Zona Azul, disciplinou o funcionamento de mototaxistas, retirou as barracas da Rua São Paulo, melhorou a sinalização do trânsito etc.,  mas sai da prefeitura sem deixar nenhuma obra  grandiosa que possa lembrar condignamente o Centenário de Independência do Município, o que seria o marco maior da sua administração. O certo mesmo é que o Centenário de Juazeiro será lembrado apenas pelo lançamento do Pacote Editorial, cuja coordenação esteve a cargo da Secretaria de Turismo e Romaria e trabalho de criação do projeto e organização pela Comissão do Centenário, cabendo uma participação maior ao professor Renato Casimiro. Também é preciso registrar, por um dever de justiça, grandes obras realizadas aqui pelo Governo Federal (Minha Casa Minha Vida, por exemplo) e Governo Estadual (Hospital Regional, CEO, Centro de Apoio aos Romeiros, iluminação natalina, prédio da Delegacia de Polícia Civil etc.). O Poder Público Municipal precisa urgentemente  implantar um novo modelo de administração, diferente do populismo e do apadrinhamento até então em voga. É necessário um verdadeiro choque de gestão. Vem aí o novo prefeito; na verdade, um prefeito para o seu segundo mandato, mas que faz questão de informar que retorna renovado e disposto a fazer uma administração diferente, progressista, com escolha de secretários vinculada à capacidade técnica (e não política, sic), com algumas obras de impacto já anunciadas, como duplicação da estrada de acesso ao aeroporto, viaduto no triângulo Crajubar, uma nova via de acesso ao Crato (pela Avenida Paulo Maia) e principalmente que governará sem subserviência à Câmara Municipal. É cedo ainda para fazer qualquer prognóstico. Porém, se tudo acontecer do jeito anunciado, no final todos terão o que comemorar; entretanto, se não houver novidade, os eleitores precisarão formatar seu HD cerebral, fazer uma up grade no caráter, criar vergonha e daí por diante aprender a votar com consciência e dignidade. Mas, vamos pensar positivamente e  torcer para dar tudo certo, mesmo. Vamos dar um voto de confiança ao novo prefeito. E que ele não traia essa confiança é o que  esperamos, para o bem de Juazeiro. Em 2013 queremos ver o Poder Público Municipal andando junto com a iniciativa privada, para Juazeiro crescer mais ainda. E para concretizar isso a população precisa colaborar, pagando os impostos, obedecendo às leis do trânsito, à lei do silêncio, não destruindo os bens públicos, não jogando lixo nas ruas e praças, enfim, sendo educada e agindo sem partidarismo político. Se isso for pedir demais, então, estamos diante de uma cidade que é mesmo um caso perdido e sendo assim, nem Deus vai querer cuidar dela.

2 comentários:

IDERVAL TENÓRIO disse...

Queridos Juazeirenses,fico deverasmente preocupado com a saúde e com a economia da população pobre do município .Não resta a menor dúvida dúvida que, os investimentos de grandes empresas varejistas geram empregos, ocupa uma pequena parcela da população e empobrece os comerciantes do município e o próprio município, uma vez que os lucros não são investidos em Juazeiro e sim transferidos para os donos do capital em seus sítios principais,França, EUA e São Paulo. Na Saúde a inauguração do Hospital Regional foi uma grande vitória da Região,agora às custas do fechamento de mais de 300 leitos SUS só em Juazeiro, mais uns 300 entre Crato,Barbalha e os outros municípios do Cariri , para o povo foi a substituição dos leitos existentes , administrado pela rede credenciada por leitos administrados pelo Estado.
Basta vê o fechamento do Pronto Socorro,do Santo Inácio e o empobrecimento da classe Médica tradicional do município,fatos escancarados e não colocado em pauta para o debate com a população médica e osusuários dos Serviços.
O Progresso só é bom, quando a globalização compartilha a RIQUEZA com todos e não a pulverização da pobreza . Os Juazeirenses juazeirenses diminuem juazeirensimente com os grandes investimentos de outras plagas e a cada dia que passa ,os não juazeitrenses natos e os não natos se encantam com os costumes do além mar: luxo, luxo, riquezas, shoppings , sofisticação e lá se vão as raízes de um povo. Breve , muito breve,Juazeiro do Norte não terá mais o fascínio do seu fundador. Que chegue o progresso mas, que não dilapide ou apague a história do Município.A cultura é o amálgama de um povo, os costumes as suas diretrizes..
Iderval Reginaldo Tenório

Mauricio Xavier disse...

Daniel
Infelizmente já se fala que o novo prefeito ofereceu R$500,00 ao vereador Darlan Lobo para votar no seu indicado à Presidencia da Câmara Municipal. Pelo visto, começou mal(é o que a Imprensa Noticiou) e ele não é do PT