segunda-feira, 29 de maio de 2017

Brasil sem parasitose chega a Juazeiro


Segundo informações prestadas à redação do Portal de Juazeiro pelo Dr. Robério Motta, a Federação Brasileira de Gastroenterologia com o apoio do Laboratório FQM-Farmoquímica vai realizar em Juazeiro a campanha Brasil sem Parasitose. Essa ação tem como objetivo realizar atendimento na área de Gastroenterologia e fornecer orientações sobre higiene pessoal e sanitária à população de áreas carentes, visando à redução de infecções e reinfecções das parasitoses intestinais. Uma unidade móvel de atendimento (carreta) está em Juazeiro, na Praça José Geraldo da Cruz, Bairro dos Franciscanos, onde médicos gastroenterologistas e outros profissionais de saúde prestarão serviços em suas áreas, promovendo o esclarecimento à população sobre o tema.

Reinaugurada Praça da Bíblia

A Prefeitura de Juazeiro do Norte, através da Secretaria de Infraestrutura (SEINFRA), entregou à população do Município, no último sábado, 27, a Praça Dr. Edvard Teixeira Férrer, conhecida como Praça da Bíblia. O equipamento se localiza na Av. Castelo Branco em frente ao Estádio Mauro Sampaio, no Bairro Romeirão. A praça dispõe de parquinhos, pista de cooper para corrida e contou com a instalação de novos bancos para melhor acomodação dos que visitarem o espaço.

 A solenidade de inauguração contou com a presença de vereadores e secretários municipais, além de outras autoridades. O evento inaugural contou ainda com distribuição de pipoca, sorvete e algodão doce para crianças, além de animação com personagens e momento ecumênico com, com posterior descerramento da placa.  (ASCM/PMJN)

Nota da Redação: Prestar homenagem a pessoas com nome de praça que já é conhecida por outra denominação é pura perda de tempo, pois o nome que vai prevalecer será sempre  o popular, que geralmente é o mais conhecido. Essa praça, por exemplo, será chamada sempre de Praça da Bíblia. Essa prática é comum em nossa cidade. Nas cidades brasileiras que têm Praça da Bíblia elas têm somente esta denominação. 

Você não está sozinho


quarta-feira, 24 de maio de 2017

Missa do Sétimo Dia de Humberto Motta



Abaixo transcrevemos a mensagem proferida pelo Dr. Robério Motta no dia do sepultsamento do seu pai, Humerto Motta
Exéquias de José Humberto Norões Motta
21/05/2017
 "Como nuvem passageira é nossa vida / e quem nos leva / quem nos leva é o sopro do senhor..."
                                                                                                                                                                Pe.Zezinho

Horas atrás estava pensando o que dizer para nossos familiares e amigos neste momento cerimonial. E, lembrei-me do Tratado sobre Gratidão de São Tomás de Aquino. Este tratado possui três níveis de gratidão: Um nível superficial do reconhecimento, um nível intermediário que é nível do agradecimento, do dar Graças a alguém por aquilo que esse alguém fez por nós. E o terceiro nível mais profundo de agradeciemento é o nível do vínculo, é o nível de sentirmos vinculada a pessoa.

Lembrei-me também do grande Agostinho de Hipona (Santo Agostinho) em que o destaque do tom geral da obra entitulada “Confissões” trata de uma grande oração de gratidão a Deus por todos os benefícios e por todos aqueles que foram vetores de Deus na tarefa de abençoar. E, em nossa caminhada com nosso querido papai foram tantos! 

Nossa gratidão a Clemir Arrais e equipe, João Ananias Machado Filho, George Jales Leitão, Flávio Leitão Filho, Adroaldo Rosseti Júnior, Ormando Rodrigues Campos Jr, Marclesson Santos Alves, Patrícia Mauriz, Ricardo Ramina, Gustavo Simiano Jung, Alexandre Ottoni, Kristel Back Merida, André Giacomelli Leal, Odery ramos Júnior, Ronald Pedroza, Mauro Rosalmeida, Roberto Guido, Cláudio Régis Sampaio Silveira, Leonardo Bezerra e equipe Lamic, Maurício Lopes, Pablo Pita, João Paulo, Dennyse Galvão e todo corpo clínico de médicos internistas, Robertina Pinheiro, Marcos Aurélio, Juliana Palácio e equipe de enfermagem Pronutrir Fortaleza, Laysa Freitas e equipe de enfermagem Pronutrir Cariri, todos os enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, fonoaudiólogos, técnicos e cuidadores além dos demais colegas envolvidos com zelo e extrema competência juntos com familiares e amigos em apoio e orações ao nosso querido pai recebam o nosso carinho e gratidão!  Emfim, compreender as circunstãncias da vida e o contínuo apredizado de desenvolver a gratidão.

Papai era um grande homem, feliz e que irradiava amor e alegria, energia positiva. De coração sempre aberto, sorriso franco e com um abraço largo de uma boa acolhida.  Assim, lembro-me do Pe. Rivael do santuário Nossa Senhora de Lourdes em Curitiba-PR quando em 20 de setembro de 2014 fui ao encontro dele para apoio espiritual e convidá-lo a ver papai na UTI do INC. Ele olhou para nós filhos e disse: Vocês são filhos abençoados, pois estávamos tão distantes da terra natal em busca do melhor. De pronto respondi: Sim estimado padre somos abençoados, pois temos uma linda família e um grande maestro de nossas vidas que é o nosso querido pai. Bom pai, bom esposo, bom irmão, bom tio, bom filho, bom amigo. Um homem bom! Honesto e de fibra! Impar! Um homem de voz alegre e cativante, alta, grave que porcurava animar todos ao seu redor. Um admirável homem que temos o dever de seguir dando frutos por meio de sua descedência (seus queridos netos).

Percebam a importância deste grande homem em nossas vidas que viveu em harmonia e plenitude com a felicidade de se completar com uma grande fortaleza de fé e esposa exemplar (minha mãe Rita). Juntos fizeram o melhor para o melhor pai. Aos meus flhos Rodrigo e Luísa, bem como todos os queridos netos do papai (Samuel, Gabriel, Lilian e Sofia), irmãos (Humberto, Christian e Rose), noras, genro, tios, cunhadas, sobrinhos, afilhados e amigos juntos escrevemos um lindo capítulo em nossas vidas para ajudar um grande e inesquecível homem. Assim, no futuro leiam com carinho este registro de um tempo! Não de desafios, mas, de um tempo de união de forças, amizades, coragem, determinação, agradecimentos, superação e Fé.

Nosso querido pai Humberto Motta era um homem de fé, altruísta e junto com minha querida mãe construiram uma família sólida com muito amor, carinho, proteção e dedicação exemplar. Papai era uma autêntica máquina de fazer amigos, com seu sorriso e coração nobre ajudou a construir sonhos de muitos. Foi um homem bom! Alegre, expansivo, Agregador, pacificador! Dedicado à família, ao trabalho e aos amigos. 

Daqueles que diz alguns trechos de uma bela canção: 
“Que em certos momentos difíceis da vida, em que precisamos de alguém para ajudar na saída”. 
A sua palavra de força, de fé e carinho me dá a certeza que nunca estivemos sozinhos.
Amigo de fé, meu irmão camarada, sorriso e abraço festivo na nossa chegada.
Você que me diz as verdades com frases abertas.
Amigo você é o mais certo das horas incertas.

Assim, não queremos a palavra adeus, não! Não! O seu sorriso e ensinamentos de vida não permitem este adeus! Sua linda história ultrapassará gerações!

De tal forma quero expressar a gratidão a todos, mas, sobretudo, a Deus Pai todo poderoso e Nossa Senhora por tudo, a tudo, no momento certo e da melhor forma!

Respeitemos o tempo de Deus!
Pai! Paz!

Juazeiro do Norte-CE, 21 de Maio de 2017

sábado, 20 de maio de 2017

Empresário Humberto Motta será sepultado neste domingo em Juazeiro

Faleceu na manhã de hoje nesta cidade, aos 75 anos, o conhecido empresário juazeirense José Humberto de Norões Motta, filho do falecido  Argemiro Motta de Carvalho, comerciante de destaque no ramo de couro, plástico e aviamento. Humberto herdou do pai a vocação para o comércio e com ele trabalhou por muito tempo para depois montar seu próprio negócio, no mesmo ramo. Era muito religioso, e com sua esposa, Rita, teve participação ativa como membro do ECC-Encontro de Casais com Cristo. Também desenvolveu atividade como radioamador, tendo prestado relevantes serviços à comunidade juazeirense.  Construiu uma família sólida com muito amor, carinho, proteção e dedicação exemplar. Segundo seu filho, Dr. Robério Motta: “Ele era uma autêntica máquina de fazer amigos, com seu sorriso largo e coração nobre, tendo ajudado a construir sonhos de muitos. Foi um homem bom!”. Humberto deixou esposa (Rita)  e os  filhos Rose, Christian, Humberto e Robério Motta. O velório está sendo realizado no Anjo da Guarda, e o sepultamento está marcado para este domingo após a celebração de missa às 9 h.

Urca participará de Simpósio Internacional sobre Geoparques no Peru

A Universidade Regional do Cariri participará do IV Simpósio Latino Americano e do Caribe sobre Geoparkes, o qual será realizado no Peru, em Arequipa, nos dias 23 e  24 e em  Chivay-Andagua  nos dias 25 e 26 de maio de 2017. A comitiva da Urca é formada pelo reitor,  Professor José Patrício Pereira Melo, professor Rafael Celestino Soares, coordenador de Geoconservação, e professor Michel Macedo Marques, coordenador de comunicação do Geoparque.  O evento é destinado a profissionais ligados ao tema da Geoparques, áreas naturais protegidas, administradores de terras, funcionários, profissionais e técnicos dos governos regionais e locais, públicas e/ou privadas; pessoas interessadas na conservação da natureza; homens de negócios, empresários, profissionais e estudantes ligados ao turismo, geologia, ambiental, geografia, arqueologia, etc.;Geocientistas, professores e o público em geral relacionado ao assunto. 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Prefeito Arnon Bezerra inaugura Praça Antônio Conserva Feitosa, neste sábado (20)

O Prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra, fará entrega à população, neste sábado, da praça Antônio Conserva Feitosa, no Bairro Lagoa Seca. A solenidade acontece às 18 horas, em momento festivo, no local. O equipamento se localiza na Rua Dr. Mauro Sampaio com a Rua Presidente Médici.

A Praça é um dos espaços públicos mais arborizados da cidade. Depois de muitos anos aguardando melhorias na área, os moradores comemoram a conquista. O projeto foi realizado por meio da Secretaria de Infraestrutura do Município. A obra foi executada com recursos do Governo Federal, através do Ministério do Turismo, pela empresa Serviços empreendimentos Eireles. O Valor da construção é de R$ 751,7 mil.

A nova praça conta com quiosques, playground, posto de vigilância, pista de cooper para corrida, 15 palhoças e 5 mesas de xadrez, para que os moradores do bairro e  localidades circunvizinhas possam desfrutar de lazer e comodidade. “As praças proporcionam à população uma melhor qualidade de vida. As pessoas terão a possibilidade de se apropriar desses espaços, tratando-os como uma extensão das suas casas”, destaca a Secretária Gizele Menezes.(ASCOM/PMJN)

Cia Teatral H2O encena peça sobre Padre Cícero em Goiânia

A Cia Teatral H2O, do Distrito Federal, traz pela primeira vez a Goiânia a peça Santo Ciço, que conta a história do Padre Cícero. O espetáculo será apresentado no Espaço Sonhus nesta sexta-feira (19), sábado (20) e domingo (21), às 20h.

“Mais de 80 anos depois de sua morte, pessoas de todos os cantos ainda viajam até lá, deixam cartas, pedem auxílio ao Padre Cícero. É uma figura muito viva no imaginário popular”, conta Kacus Martins, ator e diretor da companhia.

Para o diretor Miqueias Paz, “independente do que se acredita ou não, o Padre Cícero teve uma importância histórica para fazer com que todo o Brasil percebesse a dura realidade do povo dos rincões”, diz ele. “Damos uma universalidade que a arte permite. Nosso foco é um momento histórico. Não é uma peça de cunho religioso”.

A peça tem duração de 80 minutos e classificação indicativa de 12 anos. Os ingressos estão à venda no local por R$30 a inteira e R$15 a meia-entrada. O Espaço Sonhus fica localizado no Colégio Lyceu de Goiânia, na Rua 18, no Setor Central. Mais informações pelo telefone (62) 3225-2013
Fonte:http://www.emaisgoias.com.br/cia-teatral-h2o-encena-peca-sobre-padre-cicero-no-espaco-sonhus/

terça-feira, 16 de maio de 2017

Sepultado esta manhã em Juazeiro o corpo do comerciante Raimundo Carneiro Mota

      O corpo do comerciante do ramo calçadista, Raimundo Carneiro Mota, foi sepultado no final da manhã desta terça-feira no Cemitério Parque Anjo da Guarda em Juazeiro do Norte. Ele morreu aos 86 anos por volta das 05h30min de ontem no Hospital São Vicente de Paulo de Barbalha, onde estava internado desde o dia 3 de maio se tratando de uma pneumonia. Seu Raimundo nasceu em Juazeiro no dia 28 de março de 1931 ou três anos antes da morte de Padre Cícero de quem era fervoroso devoto.

      Iniciou suas atividades como fabricante de calçados numa indústria de fundo de quintal chegando a contar com cerca de 30 funcionários. Depois migrou para a área comercial e, durante mais de quatro décadas, manteve a Sapataria Mota na esquina das ruas São Paulo e Seminário no centro da cidade. Seu Raimundo residia numa casa ao lado com sua esposa Terezinha Alves Carneiro a qual faleceu no último dia 20 de fevereiro, aos 85 anos, em conseqüência de uma infecção na Clínica São José.

      Ultimamente, o casal já morava numa chácara na Avenida Humberto Bezerra, 530 em frente ao Parque São Geraldo. O mesmo já tinha abandonado a atividade comercial atendendo apelos de familiares e em virtude de problemas cardíacos. O casal teve sete filhos: Cleonice Alves (funcionária pública aposentada do estado); Maria de Lourdes, Julita, Soraia, o teólogo Raimundo Filho, a professora Joana Darc e a pedagoga Fabiana Carneiro.

      Seu Raimundo costumava se vestir de branco por conta de promessa com Nossa Senhora e era bastante conhecido e querido em Juazeiro. Num dos seus livros, a escritora Amália Xavier conta que Manoel Carneiro Mota, o “Seu Lolô” que era pai dele foi incumbido por Padre Cícero de levar uma carta até Fortaleza com os planos e a proposta de emancipar Juazeiro. O emissário seguia num jumento e, ao se hospedar numa pousada, alguém que tinha conhecimento trocou a carta por papeis em branco.
(Jornalista Demontier Tenório. site: Miseria

domingo, 14 de maio de 2017

No 13 de Maio, jovens artistas recontam a história da escravidão e da abolição. Um deles é juazeirense

Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil
No dia 13 de maio de 1888 foi sancionada a Lei Áurea, que aboliu oficialmente a escravidão no Brasil. A lei, ao contrário do que resumem muitos livros de história, não é mérito exclusivo da princesa Isabel, mas resultado de um movimento liderado por abolicionistas e pelos então escravos, fugidos e libertos, e que envolve grandes nomes como o de Zumbi dos Palmares e sua companheira Dandara. A abolição se deu oficialmente naquela data, mas nenhuma estrutura foi oferecida aos recém-libertos, que se viram sem terras ou recursos. A herança deste momento histórico se perpetua até hoje: é entre a população negra que se verificam os maiores índices de pobreza e violência, além dos entraves para o acesso à educação.
As condições em que vive a maior parte da população negra ao longo da vida afetam todo o processo de escolarização. Em 2015, apesar de o número de negros no ensino superior ter dobrado, influenciado por políticas de ações afirmativas, somente 12,8% dessa população chegou ao nível superior, enquanto entre os brancos o índice era de 26,5%. A dificuldade dos estudantes negros em ingressar em uma faculdade é reflexo também das altas taxas de evasão escolar ainda no ensino fundamental e dos índices de repetência ao longo da vida.
Neste 13 de Maio, a Agência Brasil conversou com dois jovens artistas que abordam em suas obras a questão da escravidão: Jarid Arraes e Wallace Cardozo.
Jarid Arraes (Arquivo Pessoal)
Jarid Arraes é autora do livro As Lendas de Dandara e de mais de 60 títulos em literatura de cordelArquivo Pessoal
Jarid tem 26 anos, é escritora, cordelista, autora do livro As Lendas de Dandara e de mais de 60 títulos em literatura de cordel. Nasceu em Juazeiro do Norte, na região do Cariri (CE). As Lendas de Dandara mistura ficção e história para narrar dez contos sobre a guerreira quilombola Dandara dos Palmares, companheira de Zumbi dos Palmares. No novo livro, que será lançado em junho, Heroínas Negras Brasileiras em 15 Cordéis, Jarid conta mais histórias de líderes quilombolas e de batalhas no período da escravidão.

Já Wall Cardozo, 19 anos, é MC do WWL RAP, grupo de Salvador. Em 2016, eles lançaram o EP Tinha que ser Preto e têm no repertório cançõees que tratam da temática racial. Além de Cardozo, integram o WWL RAP Lucas Santiago e Wesley Correia. O grupo surgiu em 2013, quando os três tiveram que fazer um trabalho da escola para apresentar no evento do Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro. O rap agradou e os colegas pediram mais músicas: uma delas chama-se Ainda existe escravidão. O trabalho do grupo também está disponível em plataformas digitais como Spotfy e Youtube. Leia mais no link abaixo:

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Memorial Padre Cícero realiza Semana Nacional dos Museus em Juazeiro do Norte

Entre os dias 15 e 21 de maio acontece em todo o Brasil a 15ª Semana Nacional de Museus, uma temporada cultural promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), em comemoração ao Dia Internacional de Museus, celebrada no dia 18 de maio.

Com o tema Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus, nessa edição, mais de mil museus de todo o país oferecem ao público cerca de três mil atividades especiais, como visitas mediadas, palestras, oficinas, exibição de filmes, entre outras.

Em Juazeiro do Norte, a Fundação Memorial Padre Cícero está organizando a programação local que acontecerá nos dias 17, 18 e 19 de maio, com objetivo de promover a integração entre os vários museus da Região do Cariri, através trocas de experiências entre os diretores dessas instituições.

Estão previstas ainda a realização de dois momentos de capacitação para os representantes dos museus caririenses presentes no encontro. São eles, a oficina Noções básicas de registro de acervos iconográficos, que terá como facilitador o historiador Renato Casimiro, e o minicurso Construção de Planos Museológicos, ministrado pela Presidente da Fundação Memorial Padre Cícero, Cristina Holanda, que compartilhará as técnicas de como se elaborar o Plano Museológico, que é um documento que todos os museus devem ter, de acordo com o estatuto que regulamenta o setor. Trata-se de um planejamento de curto, médio e longo prazo que prevê as ações que as essas instituições devem adotar.

A Fundação Memorial Padre Cícero, a partir da realização Semana Nacional de Museus, passa a colocar em prática o plano para a criação de uma Rede de Museus do Cariri, que fortalecerá as ações dessas instituições em seus locais de origem e a implementação de políticas públicas para esse setor na região.

“Essa será uma boa oportunidade para que eles todos contem um pouco sobre sua organização e seus acervos. A proposta é que, a partir desse evento, nós possamos nos conhecer melhor e em breve criarmos uma rede articulada de Museus do Cariri”, comenta Cristina Holanda, Presidente da Fundação Memorial Padre Cícero.

No primeiro, entre os intervalos das atividades, a organização do evento realizará visitas mediadas ao Memorial Padre Cícero.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no Memorial Padre Cícero, localizado na Praça do Cinquentenário, S/N, bairro Socorro, em Juazeiro do Norte.

A programação completa pode ser conferida ABAIXO:
15ª Semana Nacional de Museus 
Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus 
Programação da Fundação Memorial Padre Cícero 

Dia 17/5 
 8h. Credenciamento  
 9h – 10h30. Relato de experiências. Museus e histórias controversas no Cariri.  
Mediadora: Cristina Holanda (Fundação Memorial Padre Cícero) 
Participantes: 
Deusimária Dantas (Museu Cívico Padre Cícero) 
Jaqueline Sampaio (Museu Vivo Padre Cícero)  
Renato Casimiro (Arquivo Fotográfico de Juazeiro do Norte) 
Daniel Walker (Museu do Ouro) 
Representante do Geopark 

10h30. Intervalo 
 11h-12h30. Relato de experiências. Museus e histórias controversas no Cariri.  
Mediadora: Sandra Nancy 
Participantes: 
Representante do Museu Municipal do Crato  
Representante do Museu dos Fósseis – DNPM/Crato 
Representante do Memorial do Pau da Bandeira – Barbalha 
Representante do Museu do Pau da Bandeira – ITAPUI/Barbalha 
Escola de saberes – Barbalha 

14h. Relato de experiências. Museus e histórias controversas no Cariri.  
Mediador: Alembergue Quindins 
Representante da Fundação Casa Grande/Memorial Homem do Kariri  
Representante do Museu Casa de Antônio Jeremias Pereira 
Representante do Memorial Expedito Seleiro – Museu do Ciclo do Couro 
Representante do Museu Luiz Gonzaga (Exu) 
Fundação Memorial Patativa do Assaré 

15h30. Intervalo 

16h – 17h30. Relatos de experiência. Museus e histórias controversas no Cariri. 
Mediador: Renato Dantas 
Participantes: 
Museu Nosso Quixará (Farias Brito) 
Casa da Memória de Porteiras 
Centro Cultural Banco do Nordeste 
Memória Viva do Cordel 
Museu Nogueira Machado 
  
19h. Relatos de experiência. Museus e histórias controversas no Cariri 
Mediadora: Cristina Holanda 
Museu de Paleontologia da Universidade Regional do Cariri (Santana do Cariri) 
Casarão da Família Felinto da Cruz Neves (Santana do Cariri) 
Museu de Aurora 
Museu de Ciências Naturais e de História Barra do Jardim (Jardim) 
Museu Histórico Municipal Joaquim Pereira Neves (Jardim) 

Obs: Nos intervalos teremos visitas mediadas ao Memorial Padre Cícero para os interessados 

Dia 18/5 
 9h-12h. Mini-curso. Construção de Planos Museológicos 
Ministrante: Cristina Holanda (Fundação Memorial Padre Cícero) 
Público alvo: Representantes de museus do Cariri 

14h-17h. Mini-curso. Construção de Planos Museológicos 
Ministrante: Cristina Holanda (Fundação Memorial Padre Cícero) 
Público alvo: Representantes de museus do Cariri 

Dia 19/5 
9h – 11h. Oficina. Noções básicas de registro de acervos iconográficos  
Ministrante: Renato Casimiro 
Público alvo: Mediadores do Memorial Padre Cícero e demais interessados 

Morre aos 91 anos em Juazeiro do Norte o comerciante Expedito Franco de Carvalho

    O corpo do comerciante Expedito Franco de Carvalho está sendo velado no Centro Anjo da Guarda e será sepultado às 16 horas desta quinta-feira no Cemitério Parque das Flores em Juazeiro do Norte após celebração de missa às 15 horas. Ele morreu por volta das 22h30min de ontem aos 91 anos de idade em um dos leitos da Clínica São José, onde se encontrava internado desde o dia 29 de abril tratando de um enfisema pulmonar o qual resultou num quadro de insuficiência respiratória.

    Natural de São José do Belmonte (PE), nasceu no dia 26 de maio de 1926 e ainda jovem veio residir na terra de Padre Cícero juntamente com os seus pais na busca de uma vida próspera motivados pelas boas informações que ouviam em relação à recém-emancipada Juazeiro. A atividade empresarial de Expedito começou com uma padaria e, no dia 1º de agosto de 1966 inaugurou a Moageira Brasil na Rua Alencar Peixoto, 309 no centro da cidade com a torrefação e moagem de café, colorau e milho.

     O estabelecimento ainda hoje funciona no mesmo lugar, porém de forma arrendada. Seu Expedito foi dono, também, do Mercadinho Brasil aberto no dia 24 de agosto de 1971 na esquina das ruas Alencar Peixoto e São Paulo. Foi durante muito tempo o maior supermercado de Juazeiro e fechou há 20 anos. Ele era uma pessoa de bem e uma das reservas morais de Juazeiro, onde constituiu família e teve dez filhos com nove formados nas mais diversas áreas do conhecimento.

      O mais novo é estudante de sistema de informática na Faculdade Juazeiro do Norte (FJN). Um dos seus filhos, Ejaildo Carvalho, é dono do ESC Pré-vestibulares e Cursos o qual lembra a passagem do pai pelos clubes de serviços de Juazeiro tendo sido presidente do Rotary Clube. Expedito Franco morava na Rua Alencar Peixoto ao lado da antiga Telemar igualmente no centro da cidade.
(Jornalista Demontier Tenório - Site Miséria)

terça-feira, 9 de maio de 2017

SEDUC abre oficialmente o Programa Novo Mais Educação, em Juazeiro do Norte

O Programa Novo Mais Educação foi apresentado oficialmente ontem, segunda-feira, 08, à comunidade juazeirense e toda a equipe que deverá atuar na rede municipal de ensino em Juazeiro do Norte. Criado pela portaria MEC 1.244 de 2016, o Novo Mais Educação será executado nas escolas municipais com o objetivo de melhorar a aprendizagem em língua portuguesa e matemática no ensino fundamental, por meio da ampliação da jornada escolar e complemento da matriz pedagógica para crianças e adolescentes.

Os alunos que participarão do programa foram selecionados por um diagnóstico prévio que avaliou os seus níveis de conhecimento em português e matemática. Para incentivar a permanência do aluno no programa, o principal recurso a ser utilizado é a arte livre, onde serão realizadas atividades lúdicas.

Durante a execução do programa Mais Novo Educação, com tempo de duração previsto para 8 meses”, a SEDUC realizará diversos encontros de formação e capacitação para toda a equipe que compõe o programa. Além disso, será feito um acompanhamento contínuo das atividade e resultados nas salas de aula.

Ao todo, foram selecionados 346 voluntários que atuarão junto às equipes pedagógicas e aos professores das escolas nas áreas de língua portuguesa, matemática e arte-educação durante os turnos e contraturnos das aulas.

A seleção dos participantes passou por um rigoroso processo de avaliação curricular, onde foram observadas também as afinidades dos candidatos com o programa a ser desenvolvido. A SEDUC gerou ainda um cadastro reserva de currículos de candidatos que podem ser convidados a integrarem o programa a qualquer momento, em caso de necessidade.

Silvia Marinho, coordenadora do programa Mais Educação em Juazeiro do Norte, garantiu que a SEDUC está orientando para que as escolas recebam bem os articuladores do programa. “Queremos estabelecer uma maior aliança para a integração entre eles, a equipe da Secretaria, aluno, professores, funcionários, gestores e comunidade, onde todos podem participar e sugerir”, diz Silvia Marinho.

Todos em prol da melhoria da Educação em Juazeiro do Norte

Juazeiro do Norte é uma das primeiras cidades do Cariri a dar início ao Novo Mais Educação em 2017. Para o sucesso do programa, a Secretária de Educação aposta no comprometimento e dedicação de todos que fazem a Educação no Município. “O que justifica a existência de uma escola é o processo positivo de ensino e aprendizagem. Nós contamos com total apoio do Prefeito Arnon Bezerra”, diz a Secretária, referindo-se às medidas que ela e sua equipe Pedagógica vem adotando, no sentido de apresentar as mudanças que a Educação de Juazeiro do Norte precisa para melhorar seus índices avaliativos.

Para que essas mudanças aconteçam, a Secretária Maria Loureto de Lima convoca a todos para um engajamento em prol da melhoria da educação, no sentido de acreditarem que os resultados significativos podem chegar quando todos passam a acreditar nas medidas e programas que passam a ser executados, a partir dessa nova visão técnica e pedagógica da SEDUC. (AI/PMJN)

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Quem faz parte da matriz de formação histórica de Juazeiro - Daniel Walker

Muitas pessoas aqui em Juazeiro se incomodam quando associam à história da cidade jagunços, cangaceiros, beatos, romeiros, Maria de Araújo e (pasmem!) até mesmo o Padre Cícero. 
Elas agem assim por absoluta falta de conhecimento do processo de formação histórica da cidade. Pois, de fato, na matriz da formação histórica de Juazeiro todos esses elementos lá estão, como personagens inapagáveis. 
Com este texto apresento algumas argumentações básicas para um melhor entendimento dessa questão. 
Jagunços e cangaceiros. Os jagunços e cangaceiros prestaram relevante serviço a nossa comunidade, quando em 1914, sob a liderança de Dr. Floro Bartholomeu da Costa, eles com sua bravura ajudaram a derrotar as tropas do governador  Franco Rabelo, apeando-o do poder. Se Juazeiro dependesse apenas dos seus pacatos moradores e dos dóceis romeiros, teria sucumbido face ao tremendo poderio das forças rabelistas que cumpriam ordens do rancoroso governador no sentido de destruir a cidade e dizimar a população. 
Padre Cícero por sua bondade e carisma era uma espécie de imã para atrair a Juazeiro jagunços e cangaceiros. Por isso, muitos historiadores inescrupulosos escreveram em seus livros, de forma leviana, que ele era coiteiro de cangaceiros. Na verdade, Padre Cícero não acoitava e sim, acolhia.  E esses escritores sabiam muito bem distinguir a diferença entre os dois termos; mas na intenção de denegrir a imagem do fundador de Juazeiro teimavam em carimbar na sua (dele) biografia o termo coiteiro, no seu sentido mais pejorativo. 
Padre Cícero dizia que esta cidade era um refúgio dos náufragos da vida; por isso, quem a procurava como última estação da esperança recebia dele o melhor acolhimento. Assim aconteceu, por exemplo, com os cangaceiros Sinhô Pereira e Luiz Padre, os quais se regeneram graças à ação do Patriarca de Juazeiro, e terminaram a vida como cidadãos pacatos. Isso não é ficção, é fato real, comprovado.
Então, não há motivo para ninguém se incomodar com a presença de jagunços e cangaceiros  na história desta cidade. Eles estão presentes na história de muitos lugares. 

Romeiros. O encantamento que esta cidade proporciona só ocorre por causa dos romeiros e suas romarias. Sem eles Juazeiro seria um lugar comum como tantos que existem no mundo, ou talvez, nem sequer existisse no mapa do Brasil. 
Não há dúvida, a cidade é romeira, autenticamente romeira, em que pese isso incomodar alguns juazeirenses nativos recalcitrantes, tanto de ontem como de hoje. 
Na verdade, atualmente em Juazeiro há poucas famílias sem DNA romeiro no sangue. Assim, poucos filhos da terra poderão se apresentar como sendo de uma cepa genuinamente juazeirense. O restante ou é romeiro; ou filho de romeiro; ou neto de romeiro; e isto não deve ser motivo de insatisfação para ninguém, pois os romeiros independentemente de qualquer julgamento ou análise são protagonistas da história e agentes do progresso e do desenvolvimento desta grande cidade. 
Por isso, a presença deles aqui precisa ser respeitada e valorizada, porquanto representa uma contribuição inestimável na formação histórica e cultural juazeirense.
Os romeiros vieram a Juazeiro atraídos pelo Padre Cícero e para aqui trouxeram suas agruras e sonhos, mas também sua cultura, sua história de vida, sua culinária, seus saberes, seus fazeres,  sua crença religiosa e por conta da procedência de cada um, eles terminaram  transformando Juazeiro no grande mosaico de etnias nordestinas. Ao chegarem aqui, eles não apenas ocuparam e cultivaram um espaço geográfico delimitado por quilômetros quadrados, mas construíram uma espacialidade da qual floresceu uma grande Nação Romeira, sem igual em parte alguma do mundo. 
Portanto, é preciso que os representantes da população nativa se conscientizem de que no sangue que faz pulsar o coração de Juazeiro do Norte existe uma genética romeira, e isto faz, sim, muita diferença. Sem romeiros e sem romarias, Juazeiro deixa de ser a Terra do Padre Cícero. 

Beatos e beatas. Os beatos e beatas foram grandes auxiliares da ação pastoral do Padre Cícero. São eles que dão o tom de cidade mística a Juazeiro. E isso não deve ser motivo de insatisfação para ninguém daqui. Aliás, ser uma cidade mística é antes de tudo um privilégio, pois existem poucos lugares assim no mundo. E misticismo não é fanatismo. Cidade mística é cidade santa. E isto desperta interesse turístico. Até na Europa!
A beata Maria de Araújo foi “uma  das maravilhas da graça de Deus”, na opinião abalizada do seu mentor espiritual, Padre Cícero. Independentemente de ser ou não verdadeiro o milagre por ela protagonizado, sua vida é um atestado eloquente de humildade e resignação. É a mulher mais importante da história de Juazeiro. Gostar ou não gostar dela, é atitude de foro íntimo de cada um dos habitantes de Juazeiro, mas sua consagração já está registrada na história da cidade. Juazeiro é o resultado imediato do milagre da hóstia, seja ele verdadeiro ou não. Quem conhece a vida da beata Maria de Araújo vai ver que ela não corresponde à figura projetada nos livros pelos seus difamadores. Ninguém está obrigado a considerá-la santa, pois a Igreja ainda não a considera como tal: mas uma santa mulher sem dúvida ela foi. 

Padre Cícero. Ele nunca foi unanimidade nem poderia ser, pois isso até hoje ninguém conseguiu na face da Terra. Nem Deus, cuja existência é negada pelos ateus. Mas pra Juazeiro ele é tudo, mesmo que isso incomode algumas pessoas, especialmente motivadas por crença religiosa. Mas deixando de lado este aspecto singular, é dever de todo juazeirense ou pessoa de fora aqui residente, por uma questão de coerência e gratidão, respeitar o cidadão Cícero Romão Batista, o fundador da cidade de Juazeiro do Norte. Ele foi, e continua sendo mesmo depois de morto,  o maior benfeitor desta cidade. Sem sua presença é pouco provável que o povoado fundado pelo Padre Pedro Ribeiro  de Carvalho pudesse um dia se desmembrar do jugo do município de Crato. É fácil perceber o quanto isso é verdade, pois basta verificar o que aconteceu de 1827, quando nasce o povoado, até 1871 quando chega o Padre Cícero. Nada! O lugar era um mísero aglomerado humano sem a menor perspectiva de crescimento. A partir da chegada do Padre Cícero, tudo mudou. 
Enfim, quem não gosta de Juazeiro do jeito que é, está  morando no lugar errado. Porque quer. 


Mulher mais idosa do Ceará é de Juazeiro do Norte e completa hoje 112 anos

A aposentada Julia Amélia da Conceição se tornou a mulher mais idosa do Ceará com as mortes de Maria Erundina da Conceição, a “Mãe Deru, aos 114 anos em maio de 2016 em Mauriti e de Jose Rodrigues Avelino, o ´Zé Preto´, no último dia 1º de dezembro – poucos dias antes de completar 112 anos – em Tauá. Nesta sexta-feira, Dona Julia completa 112 anos e reside na Rua do Limoeiro, 1544 no bairro das Casas Populares em Juazeiro do Norte.
Há um mês faleceu aos 98 anos, e no mesmo bairro, a última das suas nove irmãs já que os quatro irmãos tinham morrido. Ela vive deitada a maior parte do tempo e até diz que a saúde está boa. “Só em a gente estar viva”, acrescenta num tom definidor. Esta semana, ela ganhou de presente do INSS a obrigatoriedade de se deslocar até a agência na Rua Santa Luzia para a “Prova de Vida”. Seguiu com toda a dificuldade já que a funcionária do órgão sequer se dispôs a ir até o carro vê-la deitada.
O relato foi feito pela sua sobrinha e cuidadora, Irani Pereira da Silva, de 46 anos, observando serem poucas as pessoas em Juazeiro com idades superiores a 100 anos e um funcionário do INSS poderia ir até às residências desses beneficiários na hora da “Prova de Vida”, a fim de evitar tanto sacrifício. Dona Julia nasceu no dia 5 de maio de 1905 no município de Santana do Ipanema (AL) e praticamente já não enxerga nem escuta direito, além de reclamar dores nas pernas.
Por isso, não haverá comemoração pelos seus 112 anos. Apesar da longevidade, ainda detém certa lucidez quando costuma recordar com orgulho o fato de já ter se ajoelhado por algumas vezes diante do Padre Cícero para pedir a benção e poder tocar a batina do sacerdote. Há três anos pediu como presente de aniversário uma visita à estátua do “Padim” na Colina do Horto no que foi atendida e já não mais freqüenta a Igreja como costumava fazer aos domingos.
Dona Julia é mais uma alagoana que para aqui veio com seus pais, em fevereiro de 1925, movida pela fé no Padre Cícero. Tinha apenas 20 anos e Juazeiro se preparava para comemorar 14 anos de emancipação, enquanto Padre Cícero ainda viveria mais oito anos. Por diversas vezes, esteve na casa do sacerdote a qual era sempre repleta de fiéis. Ela mantém a simpatia que a fez conquistar muitos amigos e não dispensa uma boa prosa, um bom sono e um prato com frutas. Até bem pouco tempo gostava de saborear uma boa galinha caipira com pirão, mas isso é algo do passado. 
Demontier Tenório . Site Miséria.