quinta-feira, 20 de junho de 2024

Juaforro acontece no Parque Padre Cicero nos dias 19 a 24 de junho

O Juaforró 2024 já começou com tudo! Na tarde dessa segunda-feira, o centro de Juazeiro do Norte foi invadido por uma explosão de cores, músicas e danças no cortejo de abertura. 
O evento teve inicio este ano dia 17  com o cortejo das quadrilhas participantes do festival de quadrilha e hoje 19  toda programação  no parque Padre Cicero já acontece com cidade cenográfica, shows , forró pé de serra, festival de quadrilhas , entre outros festejos juninos. 


Cortejo nas ruas 

Chegada do Cortejo das Quadrilhas no Sesc Juazeiro 


O evento, que partiu da Praça Dirceu Figueiredo (antigo prédio da Prefeitura) e seguiu até o Sesc Juazeiro na Rua da Matriz, reuniu uma multidão animada. A celebração contou com a participação vibrante de grupos tradicionais e quadrilhas juninas, enchendo as ruas de alegria e cultura.

Desde o ano 2000, o Juaforró e o festival municipal de quadrilhas são uma tradição que enche nosso coração de orgulho. Este ano, esperamos atrair cerca de 150 mil pessoas para as festividades, que prometem ser inesquecíveis.

CIA. CIDADE CENOGRÁFICA DO JUÁFORRO JUÁ FORRÓ 2024 CIDADE CENOGRÁFICA

A Cidade Cenográfica do Juaforró de Juazeiro do Norte, é um grande espetáculo de teatro ao ar livre. São vinte artistas populares das artes cênicas que apresentam monólogos e esquetes cômicas e dramáticas com uma linguagem popular e nordestina. Revelam em suas interpretações uma forte influência da cultura de tradição e da literatura fantástica de Ariano Suassuna, que influenciou com sua cultura armorial. Os atores têm como cenário uma cidade interiorana, uma estrutura paisagística que traduz um cotidiano distante da modernidade, mas, que interagem com o moderno, um vilarejo de pessoas comuns dentro da invenção do Nordeste. As apresentações teatrais da Cidade Cenográfica do Juaforró 2024 acontecem de 19 a 23 de junho, a parti das 19h às 22h00, com encenações das esquetes as 20h30.
 

Segundo estimativas da Polícia Militar do Ceará, na última quarta-feira, 19, estiveram aproximadamente 15 mil pessoas passando pelo Parque Padre Cícero; no segundo dia, quinta-feira, 20, foram cerca de 12 mil pessoas e no terceiro dia, nesta sexta-feira, 21, foram por volta de 25 mil pessoas, ou seja, os três dias de festa que se sucederam já tiveram aproximadamente um público de 52 mil pessoas lotando o espaço dos festejos do Juaforró 2024.

quarta-feira, 19 de junho de 2024

MPE realiza audiência aberta ao público nesta quarta(19) para discutir revisão do PDDU -Plano diretor de Juazeiro do Norte

 O Ministério Público do Estado do Ceará, por meio da 9ª Promotoria de Justiça de Juazeiro do Norte, realizará nesta quarta-feira (19/06), às 10h, audiência extrajudicial no auditório das Promotorias de Justiça da cidade para discutir o processo de revisão do Plano Diretor Municipal (PDM). 


O debate sobre a política, que já está sendo discutida pelo MP do Ceará e pelo Poder Legislativo Municipal, é aberto à população e pode contar com a participação de representantes de diferentes setores da sociedade civil.
O Plano Diretor, aprovado por lei municipal, é o instrumento básico da política de desenvolvimento e expansão urbana, devendo ser revisto, pelo menos, a cada dez anos. Em 2021, a Prefeitura de Juazeiro do Norte iniciou o processo de revisão do PDM por meio da assinatura de Acordo de Parceria n.º 01/2021, que foi celebrado com a Universidade Federal do Cariri (UFCA).

O projeto foi dividido em cinco etapas: (1ª) Plano Executivo de Trabalho; (2ª) Leituras Técnicas, Comunitária, Participação e Mobilização Social; (3ª) Diretrizes e Eixos Estratégicos, Objetivos e Ações; (4ª) Minuta do Projeto de Lei do PDM e Legislação Complementar; (5ª) Plano Diretor Revisado.

Serviço

Audiência Extrajudicial – Revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) de Juazeiro do Norte

Data: 19 de junho de 2024

Horário: a partir das 10h

Local: auditório da sede das Promotorias de Justiça de Juazeiro do Norte (rua Oliveira Alves Fontes, nº 145, bairro Lagoa Seca)

Aberto ao público

fonte: gazetadocariri

segunda-feira, 17 de junho de 2024

Texto Bíblico: Mc 4, 26 – 34 - texto de Dom Samuel -OSB

 

Primeiro Jesus nos diz que “sucede com o reino de Deus o mesmo que com um homem que lança a semente a terra. Quer ele durma, quer esteja levantado, de noite e de dia, a semente germina e cresce, sem que ele saiba como”(Mc 4, 26 – 27) para em seguida compara-lo(o reino de Deus) a um grão de mostarda, o qual, quando é semeado na terra, é a menor de todas as sementes do mundo; mas, depois de semeada, cresce e torna-se a maior de todas as hortaliças, e dá grandes ramos, de tal forma que, à sua sombra, os pássaros do céu podem fazer seus ninhos.”(Mc 4, 31 – 32)

No Antigo Testamento, o reino de Deus foi o povo de Israel, modesto em seus inícios, podendo ser comparado à uma pequena semente lançada à terra que com o transcorrer do tempo, germinou e cresceu. O autor do livro do Êxodo nos informa que umas poucas pessoas desceram ao Egito. Após um certo tempo, o que inicialmente fora apenas uma ínfima semente, tornou-se um povo tão numeroso como as estrelas do céu.

Todas as obras de Deus, sempre pequenas no início, tendem depois a se tornar grandes. Qualquer semente lançada por Deus a terra, tornar-se-à uma frondosa e robusta árvore. O menino nascido numa manjedoura em Belém não se tornou depois o mais belo entre os filhos dos homens? São José, o humilde carpinteiro, não se tornou o patrono da igreja universal? A humílima virgem de Nazaré não foi elevada a condição de rainha do céu e da terra?

Neste mundo, a Igreja, onde floresce o Espírito e onde desabrocham suavemente os divinos dons, é ela própria o reino de Deus. Que foi a igreja de Cristo no seu início senão esta pequena semente de que Jesus hoje nos fala? Que foi ela senão um grão de mostarda, inicialmente a menor de todas as sementes do mundo, mas depois convertida pela incessante ação divina na maior de todas as hortaliças, repleta de grandes e potentes ramos? Limitada a Jerusalém quando de seu nascimento, e a um punhado de homens – eram apenas doze – em pouco tempo a semente lançada na terra pela pregação do filho de Deus, espalhou-se por todo o mundo, não tendo havido um único lugar onde o Evangelho não tenha sido anunciado.

Em pouco tempo já não eram mais apenas doze anunciando a palavra de Deus, mas muitos outros que haviam abraçado a fé por causa da pregação daqueles doze primeiros infatigáveis operários da gigantesca obra que em breve espalhar-se-ia por toda a terra.

A igreja de Cristo cresceu e de insignificante semente tornou-se uma bela e distinta árvore, de colossal estatura,  que não obstante fraquezas e misérias de muitos dos seus filhos, gerou e continua ainda a gerar frutos abundantíssimos. Ao longo de sua história não foram poucos os pássaros – alguns dentre eles geniais e brilhantes – que à sua sombra protetora e benfazeja fizeram seus ninhos. À sombra da grande mãe e mestra igreja abrigaram-se inumeráveis sábios, santos, cientistas, poetas, homens ilustres por seus talentos e virtudes, oriundos das mais diversas partes do mundo; à sombra desta hortaliça sempre verdejante que nunca morreu nem há de morrer e de cuja perene juventude é prova cabal e irrefutável sua mesma história, encontraram abrigo no passado e o encontram ainda hoje todos os que sofrem e penam neste mundo.

Cristo, o divino agricultor que veio do céu para semear a palavra no mundo, lançou a semente a terra que germinou e cresceu. Hoje, vemos, e é a história que no-lo mostra e testifica, o pequenino grão de mostarda do modesto início misteriosamente convertido na maior de todas as hortaliças, cheio de grandes ramos, de tal forma que, à sua sombra, os pássaros do céu podem fazer seus ninhos.

Lemos no salmo 103 que “as árvores do Senhor são bem viçosas e os cedros que no Líbano plantou. As aves ali fazem os seus ninhos.” (Sl 103, 16 – 17) A Igreja de Cristo é esta árvore imorredoura de que nos fala o salmista inspirado; é ela este indestrutível cedro plantado pela mão do onipotente neste mundo, e onde, tanto no passado como ainda hoje todas as espécies de aves, grandes e pequenas, podem, se quiserem, fazer seus ninhos.

 

 

quinta-feira, 13 de junho de 2024

O Aeroporto de Juazeiro do Norte, Orlando Bezerra de Menezes, teve um incremento na oferta de assentos e operações.

O Aeroporto de Juazeiro do Norte, Orlando Bezerra de Menezes, teve um incremento na oferta de assentos e operações.

O terminal, que se destaca como principal portão de desembarque no interior do estado, mais especificamente no Cariri, beneficia diversos municípios da região e é administrado pela Aena Brasil.

Durante o período junino, a oferta de assentos irá passar de 42.885 para 52.376 mil, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Já com relação às operações, a expectativa é que em junho de 2024 sejam realizadas 409, ante 280 que ocorreram em 2023.

Os dois incrementos representam crescimentos de 22% e 46%, respectivamente. Voos extras para Fortaleza, durante o dia, serão operados.

Na avaliação da secretária do Turismo do Ceará, Yrwana Albuquerque, os investimentos assertivos do Governo do Ceará são essenciais para os recém incrementos. “O São João é um período que movimenta milhares de turistas por todo o país, em especial no Nordeste. Com esses incrementos, facilitamos a chegada dos viajantes para aproveitar os festejos por toda a região, como a festa do Pau da Bandeira, em Barbalha. Vale ressaltar os investimentos em promoção que foram feitos e, agora, temos um retorno das companhias aéreas que decidiram apostar em nossos destinos”, frisa a secretária Yrwana Albuquerque


fonte: nocariritem

quarta-feira, 12 de junho de 2024

Professor juazeirense, Ciswal Santos,vai expor no Climate Action Acelerador The Salata Institute for Climate and Sustainability, na Universidade de Harvard

 Um projeto do professor juazeirense, Ciswal Santos, foi aprovado para ser exposto no Climate Action Acelerador The Salata Institute for Climate and Sustainability, na Universidade de Harvard em Cambridge EUA, nesta quarta-feira (12).



Dois artigos brasileiros foram selecionados, um do Sul e o outro do representante cearense.

O evento será transmitido para todo mundo e terá 82 projetos apresentados, que podem ser fomentados. O artigo que tem como tema: “Como o Hidrogênio pode salvar o planeta de catástrofes climáticas”, demonstra como podem ser quebradas moléculas da água extraindo o hidrogênio para geração de eletricidade de uma forma sustentável para o nosso planeta.

fonte: nocariritem

terça-feira, 11 de junho de 2024

Lançamento do livro “Padre Cícero 180 anos – O Santo do Povo” neste dia 13 as 19 h.

O ano de 2024 celebra os 180 anos de nascimento do Padre Cícero Romão Batista. Para marcar essa data especial, o Instituto Nordeste XXI, em parceria com o Prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, vai lançar o livro “Padre Cícero 180 anos – O Santo do Povo”.


 A obra será apresentada nesta quinta-feira, dia 13, às 19h, em uma solenidade no auditório da Secretaria de Educação de Juazeiro do Norte.📚

📖 Sobre o Livro:

Coordenação: Jornalista e escritor Francisco Bezerra.
Equipe de Produção: Historiador Juarez Leitão, cordelista e cantador Geraldo Amâncio, dramaturgo Ricardo Guilherme, fazedor de cultura Gylmar Chaves, jornalista e escritor Barros Alves.
Texto de Apresentação: Cineasta Rosemberg Cariri.
Edição Especial: Capa dura, papel couchê, e diversas imagens ilustrativas.

🎉 Solenidade de Lançamento:
A cerimônia contará com a presença da equipe de produção, prefeitos de Juazeiro do Norte e Maracanaú, Glêdson Bezerra e Roberto Pessoa, autoridades políticas cearenses e pesquisadores da vida do Padre Cícero.



Evento: Lançamento do livro “Padre Cícero 180 anos – O Santo do Povo”
Data: 13/06/2024 (quinta-feira)
Horário: 19h

Local: Auditório da Secretaria Municipal de Educação, Rua São Francisco – S/N, São Miguel – Juazeiro do Norte/CE
Venha celebrar a vida e legado do Santo do Povo! ✨📖


fonte: ASCOM /PMJN 

Jua Forró 2024 - Programação divulgada

 Nossa programação está recheada de atrações incríveis que vão fazer você dançar e se divertir como nunca! Confira o que preparamos para vocês:



📅19.06 - Quarta-feira
Começamos com tudo!

Fábio Carneirinho
Luiz Fidelis
Mano Walter
Padre Caio Cavalcanti
Lorim Vaqueiro
Balancear

📅20.06 - Quinta-feira
A festa continua!

Solange Almeida
Banda Líbanos
Karynna Ferreira
Os Cabras de Lampião
Felipe do Acordeon
Leandro Tavares

📅21.06 - Sexta-feira
O ritmo esquenta!

Taty Girl
Joquinha Gonzaga
Leonardo de Luna
Anderson & Vei da Pisadinha
DJ Gvará
Simone Vox

📅22.06 - Sábado
Uma noite inesquecível!

Fagner
Ruan Rodrigues
Ingrid Loyanne
Tony Alves e Leo Alves
Junior Freitas
Gledson Gomes

📅23.06 - Domingo
Fechamos com chave de ouro!

Marcelo e Rayane
Joãozinho do Exu
Jota Farias
Pepito
Grupo 1 Pretexto

A rede de fast food Bob’s projeta abrir mais cinco lojas no Ceará ainda em 2024 . Entre as cidades Crato e Juazeiro, no Cariri estão no radar.

 A rede de fast food Bob’s projeta abrir mais cinco lojas no Ceará ainda em 2024, em um plano de expansão que deve gerar 150 empregos diretos.


O foco da marca é chegar a médias e pequenas cidades cearenses com potencial de mercado, cuja população seja a partir de 80 mil habitantes.


Cidades no radar
As cidades de Crato e Juazeiro, no Cariri, além de Tianguá, Pacatuba, Aracati, Aquiraz, Iguatu, Sobral, Maracanaú, Caucaia e a capital Fortaleza estão no radar da rede.

“O Ceará está entre as três principais economias do Nordeste, com um crescimento consistente nos últimos anos. Tanto a capital, Fortaleza, como o interior estão repletos de oportunidades para investidores e empreendedores”, afirma Fabiano Lima, diretor de expansão do Bob’s.

Em todo o País, a rede possui mais de 1.000 pontos de venda.


Fonte: Diário do Nordeste

Juazeiro do Norte é um dos contemplados com plano de arborização financiado pelo CAF

O município de Juazeiro do Norte está entre os cinco municípios brasileiros contemplados com o projeto de arborização urbana, financiado pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina e do Caribe (CAF). O projeto visa desenvolver um plano estratégico para arborizar a cidade com foco em mitigar e combater os impactos das mudanças climáticas, catalisadas pelo excesso de CO² na atmosfera terrestre.

O plano de arborização consiste, entre outras coisas, na revegetação da cidade através do plantio de árvores nativas da região. Entre outras justificativas, a ação objetiva também frear o processo de desgaste e desertificação do bioma Caatinga, exclusivo do Brasil, que abrange predominantemente a região nordeste do país. Concomitantemente ao plano de arborização, o projeto também inclui a recuperação e preservação das nascentes pluviais do município e a elaboração de um plano de comunicação institucional para a promoção do projeto.

Segundo Eraldo Oliveira, superintendente da Autarquia Municipal de Meio Ambiente (Amaju), esse plano é uma conquista ímpar para Juazeiro do Norte, principalmente em meio à crise climática vivenciada na contemporaneidade. "Esse plano de arborização, gratuitamente concedido pelo CAF e elaborado especificamente para a nossa cidade, vai compor com toda a nossa equipe um pré-diagnóstico do nosso plano de arborização e recuperação de olhos d'água e outros pontos do nosso aquífero. Em plena crise ambiental que o mundo passa, esse plano de arborização é uma oportunidade ímpar como jamais vista aqui no nosso município", comenta.

O planejamento de arborização, bem como o de recuperação de nascentes e comunicação, está sendo executado pela Certare, empresa de consultoria contratada pelo CAF. Atualmente, o plano se encontra na fase de caracterização prévia, etapa na qual está sendo feito um diagnóstico do município, além do desenho das estratégias que serão adotadas para o início das atividades. No próximo dia 17, está agendada uma visita dos técnicos da Certare ao município.

Os municípios contemplados com o plano de arborização foram escolhidos através de critérios estabelecidos pelo próprio CAF. Além de Juazeiro do Norte, os outros quatro municípios que completam a lista de beneficiados também são cearenses. São eles: Irauçuba, Ipueiras, Tauá e Fortaleza.

fonte: ASCOM /PMJN

sábado, 8 de junho de 2024

Texto Dom Samuel Dantas OSB- décimo domingo do tempo comum

 

Texto bíblico: Mc 3, 20 – 35

 

“Em verdade vos digo que tudo será perdoado aos filhos dos homens, os pecados e as blasfêmias, por mais que as tenham proferido; mas se alguém blasfema contra o Espírito Santo, fica para sempre sem perdão” (Mc 3, 28 – 29), diz-nos nosso Senhor Jesus Cristo neste domingo.

A primeira e imediata impressão que um leitor desavisado destas palavras de Jesus pode ter é que para todo e qualquer pecado cometido há perdão da parte de Deus e que apenas para um único pecado – o cometido contra o Espírito Santo – não existe perdão nem aqui nem no além. Tal impressão, todavia, é errônea, baseada em uma leitura perigosa e superficial que não vai além da letra e que por isso mesmo não consegue captar o sentido mais profundo do que o filho de Deus, nosso celeste pedagogo, nos quis ensinar.

Muitos cristãos habituaram-se a ler e interpretar as palavras do Senhor a seu modo, mas o resultado de um tal tipo de interpretação pode revelar-se ao fim desastroso. Do fato de Jesus ter dito: “tudo será perdoado aos filhos dos homens” tais intérpretes costumam deduzir, como se se tratasse de consequência lógica e necessária, que não importa o que faça e quanto faça o pecador ao longo de sua vida, pode contar com a certeza do perdão divino, pois foi ele em pessoa que disse: “tudo será perdoado aos filhos dos homens.”

Ainda que Jesus não o tenha dito – se o não disse foi por tratar-se de algo tão óbvio que nem era preciso dizer – todos sabemos e a Igreja o ensina, que só há perdão para quem sinceramente se arrepende dos pecados cometidos, de sorte que Deus perdoa somente a quem se arrependa e peça perdão. Não havendo arrependimento da parte de quem peca, não há nem pode haver perdão da parte de Deus. De que modo pois havemos de entender o “tudo será perdoado” de Jesus? Tudo será perdoado somente com a condição de que nos arrependamos; tudo será perdoado contanto que nos voltemos arrependidos para aquele a quem ofendemos pedindo-lhe perdão. Mas, se não nos arrependermos, caso não peçamos perdão a Deus por tê-lo ofendido, tenhamos por certo, porque é de fé, que nada, absolutamente nada nos será perdoado.

Não podemos nem devemos dar as palavras do Senhor Jesus um sentido e uma extensão que elas não têm nem nunca tiveram!

É neste sentido que se deve dizer que o pecado cometido contra o Espírito Santo, do qual o Senhor nos fala neste domingo,  não é o único pecado para o qual não há perdão divino nem neste mundo e nem no futuro. Se o pecado cometido por quem quer que seja é grave, ainda que tal pecado não tenha sido uma blasfêmia contra a terceira pessoa da Trindade, não será perdoado se quem teve a desventura de o cometer dele não se arrepender e para ele não pedir perdão a quem unicamente o pode perdoar.

Perdão há sempre para quem se arrepende, e a Igreja que é mãe nunca deixou de proclamar em toda a sua longa e sofrida história esta consoladora verdade que impede caímos nós em inconsolável desespero por causa das nossas culpas habituais. Perdão há sempre para quem o busca. O que a Deus se pede não pode ele deixar de nos conceder, contanto que seja para nosso bem e santificação.

Quem vive apregoando aos quatro ventos que Deus perdoa sempre, não deve esquecer-se de dizer que a condição para que ele perdoe é que o pecador verdadeiramente se arrependa e peça perdão, o que nem sempre sucede. Quem diz que Deus perdoa sempre não mente!  Nisso eu creio e é esta uma das razões da minha esperança inabalável de salvar-me. Já quanto ao ser humano arrepender-se sempre, disto eu já não tenho certeza...

quarta-feira, 5 de junho de 2024

No Cariri, ministra da Cultura participou do lançamento do Programa Kariri Criativo

 “A cultura, além de ser um legado, também é um setor que gera a economia no país”, afirma Margareth Menezes


Ministério da Cultura (MinC), em parceria com o Governo do Ceará, lançou nesta terça-feira (4) o Programa Kariri Criativo, que busca impulsionar o desenvolvimento da economia criativa na região do Cariri. A ministra da Cultura, Margareth Menezes, marcou presença no evento realizado no Crato, que reuniu autoridades e contou com apresentações culturais.

“Nossa visão no Ministério é nacionalizar o fomento. Fazer com que cada cidade, cada estado, possa gerar seus eventos culturais. Neste momento nós temos a Lei Rouanet e a Política Nacional Aldir Blanc. Agora a gente precisa também preparar o setor cultural, então veio essa ideia do Kariri Criativo, para trazer ferramentas para o segmento, qualificar. E aí nós faremos a economia criativa girar com mais qualidade”, declarou a ministra, que salientou: A cultura, além de ser um legado, também é um setor que gera a economia no país”.

O Programa visa mobilizar, qualificar e integrar lideranças, organizações e atores da economia criativa da região, incentivando o alinhamento das demandas locais e a união das políticas públicas municipais, estaduais e federais, destacando o fortalecimento das dinâmicas econômicas de criação, produção, comercialização e consumo de bens e serviços criativos em prol do desenvolvimento sustentável.

A iniciativa será viabilizada por instrução normativa, assinada durante o evento, que estende o alcance e as possibilidades de financiamento da cultura pela Lei Rouanet. O mecanismo de incentivo, agora com foco também no desenvolvimento de políticas públicas de economia criativa, representa um avanço no sentido de fomentar a cultura e expandir parcerias.

O secretário de Economia Criativa e Fomento Cultural, Henilton Menezes, lembrou da criação do Programa. "Nós temos a principal lei de incentivo à cultura desse país, a Rouanet, então passamos a remodelar esse mecanismo, que tem uma lógica que só financiava produtos e serviços culturais, para que passasse também a enxergar o território como um lugar de desenvolvimento local e sustentável a partir da cultura brasileira”. E acrescentou: “A partir desta quarta, projetos similares ao Kariri Criativo podem se inscrever na plataforma da Rouanet para obter a possibilidade de financiamento. Vamos trazer recursos para todas as regiões brasileiras. A ministra tem dito que precisamos nacionalizar os recursos da Lei. Por isso criamos o Rouanet Norte e Rouanet Favelas e agora  apresentamos o Rouanet nos Territórios Criativos”.

Serão atendidas pelo Kariri Criativo as cidades de Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Missão Velha, Nova Olinda e Santana do Cariri, na região do Cariri, célebre por sua produtividade econômica e diversidade cultural.

A secretária da Cultura do Ceará, Luisa Cela, salientou o papel que o Programa tem na qualificação dos fazedores de cultura. “Nós precisamos profissionalizar a política pública de cultura e a gestão cultural no nosso estado e no país para que a gente possa transformar a realidade dos nossos territórios”.

A iniciativa irá impulsionar o desenvolvimento econômico da região, por meio da produção cultural. As ações têm o apoio do Banco do Nordeste e serão pautadas pelo diálogo com a sociedade.

“Não existe desenvolvimento sem a valorização de seu povo, e temos a certeza que o fortalecimento da economia criativa é o caminho certo para a inserção social em nossa região”, comentou a superintendente do Banco do Nordeste do Ceará, Eliane Brasil.

A atividade contou ainda com a participação do secretário de Formação, Livro e Leitura do MinC, Fabiano Piúba; da presidenta da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Maria Marighella; da secretária de Meio Ambiente e Mudanças Climáticas do Ceará, Vilma Reis; do prefeito do Crato, Zé Ailton; da secretária-Executiva de Gestão de Planejamento Interno da Secult-CE, Gecíola Fonseca, e do secretário-Executivo da Cultura do Ceará, Rafael Felismino.

O intuito é integração das atividades de ensino, pesquisa, extensão e inovação no campo da cultura e a utilização da experiência e da especialização de cada um, em suas áreas de atuação.

Entre os presentes estavam a secretária da Cultura do Ceará, Luisa Cela; e o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão.

fonte: minc

Festa de Santo Antonio em Barbalha- Dia do Pau da bandeira

Festa de Barbalha é de Primeira 

A dimensão grandiosa que toma a festa de Barbalha , principalmente na sua abertura no dia do pau da bandeira é sempre tomado de muita alegria e participação de toda comunidade do Cariri. Aliás , falamos também de vários turistas , televisão local e nacional e sites da net.



A proporção que a festa cresce , o orgulho de pertencimento do povo barbalhense é notado pelo capricho e organização desde a decoração, as atrações artísticas, a educação escolar para a cultura , as atrações locais . O parque da cidade foi totalmente recuperado dando espaço ao lazer, artes, esporte e cultura do seu povo .

escolares 

grupo de teatro

penitentes 

As missas, quermesses, festejos populares, cortejo, corte do pau e replantio de novas árvores, apresentações artísticas locais e nacionais, manifestos sociais, lazer inclusivo, procissão e colocação do pau da bandeira, comunhão e encontro das famílias, Barbalha tece e expande no seu território o pertencimento Cariri .


Aqui algumas imagens das mídias sociais , e nossas. 

sábado, 1 de junho de 2024

NONO DOMINGO DO TEMPO COMUM Mc 2, 23-28 Texto Dom Samuel OSB

Nota: A Igreja, depois dos tempos quaresmal e pascal, retoma a partir deste domingo, o tempo litúrgico que se chama “comum”, composto de 34 semanas, sendo dos tempos litúrgicos o mais longo.

Conta-nos São Marcos evangelista no trecho evangélico lido pela Igreja neste domingo, que, passando Jesus com seus discípulos por um campo de trigo, puseram-se eles a arrancar espigas e a comê-las, o que provocou a crítica dos fariseu, os quais disseram que não era lícito se fizesse aquilo em dia de sábado.

São Marcos não deixou claro em seu relato a razão pela qual os discípulos do Senhor fizeram aquilo, mas já o evangelista Mateus, ao narrar o mesmo fato, observou: “Seus discípulos sentiram fome.”  Eis aí a causa do ato praticado pelos discípulos!

Os fariseus limitaram-se no seu julgamento a fazer o que quase todos nós fazemos nos nossos quando julgamos as ações alheias, cujas causas, via de regra, ignoramos completamente. Olharam somente para a ação exterior sem, no entanto, ponderar sobre a causa que teria dado origem àquela ação.

Os discípulos colheram espigas e as comeram porque estavam oprimidos pela fome, por causa da qual aliás, alguns por vezes chegam ao ponto de roubar, e precisamente para que os não mate a fome. Os fariseus condenam sumariamente o ato, muito embora tenha sido praticado por causa da fome.

Inúmeras vezes fazemos nós exatamente o mesmo, se bem pensarmos. Vemos ações praticadas e ao invés de nos perguntarmos por qual razão terá fulano feito isto ou aquilo, limitamo-nos como aqueles detestáveis homens a dizer que aquilo não é lícito, que a lei não permite tal ou qual coisa. Vê alguém uma pessoa comer muito e sem parar para pensar que talvez o faça porque já há dias não come nada, já a acusa de ser um glutão; vê uma mulher a outra conversando com alguém que não é seu esposo, e já a toma por adúltera, sem todavia refletir que possa tratar-se de uma inocente conversa entre dois bons amigos; fica alguém sabendo que um colega de trabalho não apareceu na empresa para a faina cotidiana e ao invés de pensar que a causa da ausência deveu-se talvez a uma noite as claras, já se refere ao colega como um preguiçoso e um relaxado.

Não havia nada de errado nem de delituoso no que os discípulos, premidos pela fome, fizeram naquela ocasião, e tampouco uma proibição expressa da lei. A lei dispunha, é bem verdade, que não se devia trabalhar em dia de sábado, mas em lugar algum estava escrito que era vedado a alguém arrancar espigas e come-las num dia de sábado, ainda mais quando estivesse sentindo fome.

 Os fariseus, como a esmagadora maioria dos seres humanos, viram delito onde não havia nenhum e o que é pior, julgaram uma ação alheia, coisa que habitualmente costumamos nós também fazer, sem pensar na possível causa que lhe deu origem. E mesmo que porventura constituísse um pecado arrancar espigas num campo em dia de sábado e come-las, ainda sim, a fome serviria para justificar o cometimento de tal ação, porque mais importante que a simples observância de qualquer lei, é o bem estar do ser humano, criado à imagem e semelhança da divina Trindade, e chamado a viver com ela para sempre.

Nosso senhor não viu falta nenhuma no que aqueles homens famintos fizeram por causa da fome que estavam sentindo e por isso disse aos fariseus que eles não cometeram falta.(Mt 12, 7)

Que diferença há entre o juízo de Deus e o dos seres humanos! Onde os homens, costumeiramente péssimos julgadores, veem falta, Deus, cujo modo de julgar é bem diverso do nosso, porque ele vê a intenção enquanto nós apenas a ação externa, nada vê de grave nem de criminoso!

Quantas ações há neste mundo que vistas em si mesmas nos parecem más e ilícitas! Se, todavia, nós víssemos os motivos que estiveram na sua origem, elas já não nos pareceriam tão más e os seus autores, tão faltosos! O inverso também bem pode suceder. Quantas ações há, que aparentando ser boas e santas, não o são na prática porque inspiradas em muitos casos por intenções secretas nem um pouco belas e nobres! Neste mundo(isso é coisa bastante comum na Igreja) quantas pessoas há que fazem o bem para que os outros as chamem de bondosas e como tais as tenham!

Neste sentido, o ato de quem rouba para não morrer de fome nada tem de delituoso, ao passo que nada vale aos olhos de Deus a esmola do que a dá para ser tido e chamado de caridoso. É assim que alguém pode roubar sem ser ladrão como alguém pode fazer o bem sem ser na essência verdadeiramente bondoso.


quinta-feira, 30 de maio de 2024

Cerimonia Corpus Christis no Santuário Mãe das Dores

 Benção na Praça Padre Cícero 


 1º tapete no átrio da Capela do Socorro 



Procissão passando pela Rua São Francisco na Alameda 
Benção na Capela São Vicente

Chegada a Capela do Socorro 
Do alto O santo do povo  Padre Cicero abençoando seu povo 
imagens : Pautilia Ferraz

quarta-feira, 29 de maio de 2024

I Seminário Internacional Bacia Cultural da Chapada do Araripe de 5 a 8 de junho de 2024 em Nova Olinda

 





 No quarto dia (08/06) damos continuidade às rodas de conversas com os mestres da cultura, além de falar sobre a importância do turismo comunitário para construção e manutenção do patrimônio. Para arrematar os temas tratados nesses quatro dias de diálogos, teremos palestras sobre Gestão do Patrimônio Cultural.

Como conclusão das atividades no V Seminário Internacional Bacia Cultural Sociobiodiversa da Chapada do Araripe Patrimônio Dá Humanidade, falaremos sobre as lições aprendidas ao longo da trajetória de construção da candidatura, assim como desses quatro dias de muita conversa e aprendizado.

Não vai faltar comemoração nesse último dia! Os grupos de tradição popular Reisado Dedé de Luna, Reisado São Francisco e a Banda Cabaçal São José farão a animação no terreiro da Casa Grande, e a noite continuará com muito forró ao som de Joquinha Gonzaga.

fonte: Casa Grande