quinta-feira, 21 de março de 2013

Locutor do programa “João José e a Verdade” será sepultado hoje


Está marcado para as 9 horas desta quinta-feira, no Cemitério do Socorro, o sepultamento do radialista, cantor e compositor João José da Silva que morreu aos 81 anos. O velório acontece em sua residência na Rua Santa Isabel, 528 perto do cruzamento com a Rua São Luiz (Bairro São Miguel) em Juazeiro do Norte. Ele morreu de falência múltipla dos órgãos por volta das 4 horas da madrugada deste dia 20 de março em sua residência de onde já não mais saía e sequer conseguia falar.

A morte do mesmo aconteceu em plena Semana do Padre Cícero de quem era fervoroso devoto e fez muitas composições em homenagem ao sacerdote as quais costumava cantar em seus programas de rádio. Da mesma forma, nas tradicionais serestas do Padre Cícero e era membro com ativa participação na sociedade que ostenta o nome do “Padim” em cujo túmulo vai ser sepultado no Socorro.

João José era viúvo e foi funcionário da antiga CELCA (Companhia de Eletricidade do Cariri) e, depois, da COELCE (Companhia de Eletricidade do Ceará) por cuja empresa se aposentou. Ele deixa seis filhos dentre os quais o professor e, também radialista, Marcos da Hora. Foi um dos pioneiros por aqui na produção de programas com músicas católicas com predomínio das canções do Padre Zezinho de quem era fã. Normalmente, o “João José e a Verdade” ia ao ar nas noites de sábado.

Terminou se tornando tradicional nos lares caririenses na voz serena e solene de João José que era um locutor bastante carismático. Muitas pessoas, principalmente da zona rural, vinham ao estúdio da emissora conhecê-lo de perto. Sempre foi um recordista de cartas nas rádios Progresso e Verde Vale AM, por onde passou, apesar do programa ser semanal. As ligações telefônicas igualmente eram muitas e ele conquistava a todos com o seu jeito simples de ser.

Nota do Editor do blog:
Em aditamento a esta notícia publicada pelo site www.miséria.com.br gostaria de acrescentar um mérito conquistado por João José da Silva que pouca gente conhece. Ele é o autor (letra e música) do Hino de Juazeiro oficializado através do Decreto Nº 170, de 24 de julho de 1973, pelo então prefeito Dr. Mozart Cardoso de Alencar. Fui colega de trabalho de João José na extinta Coelce e ainda relembro quando ele, feliz da vida, mostrava a todos o papel contendo o Decreto assinado pelo prefeito oficializando o Hino de Juazeiro, da sua autoria. No mesmo dia tirei uma cópia para o meu arquivo que transcrevo abaixo para conhecimento dos leitores.  Na verdade, existem três hinos de Juazeiro. O primeiro, chamado de Hino da Independência, é  de autoria do mestre Pelúsio Correia de Macedo, foi criado no dia 7 de setembro de 1910, mas não existe cópia disponível em nenhum arquivo. Existe referência sobre esse Hino no livro O Padre Cícero que eu conheci, de Amália Xavier de Oliveira. O segundo Hino é o de João José da Silva. E o terceiro e  que está em vigor, é de autoria de Dr. Geraldo Menezes Barbosa, com música do maestro Antônio Gondim.

ATOS DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
JUAZEIRO DO NORTE  - CEARÁ

 DECRETO Nº  170,    de  24 de julho de 1973

Oficializa, o Hino do Município do Juazeiro   do Norte

O Prefeito Municipal de Juazeiro do Norte, no uso de suas atribuições legais e levando em consideração que o Município não tem, ainda, o seu hino oficial,

D E C R E T A:

Art. 1º - Fica oficializado o Hino do Município de Juazeiro do Norte, letra e música do compositor conterrâneo João José da Silva.

Art. 2º - O Hino de que trata o art, anterior é o que consta do poema abaixo transcrito:
"Vinte e dois do julho
Data linda o consagrada
Ao município da cidade juvenil
Juazeiro, Juazeiro do Norte
Incrustada no Nordeste do Brasil.
Suas praças são belas e floridas
As igrejas dão gosto pra rezar
Cidade das romarias
Orgulho do meu Ceará
Os estudantes são preparados
Glorificam a luz do saber
Os reservistas exercitadas
E dispostos a Pátria defender
Juazeiro, Juazeiro do Norte,
Cidade de grande tradição
Fundada, querida e amada
Por Padre Cícero Romão".

Art. 3º - O Hino do Município de Juazeiro do Norte será cantado de preferência nas  escolas municipais, em datas cívicas da Municipalidade ou por ocasião do hasteamento da Bandeira do Município.

Art. 4º - Este decreto entrará em vigor na data de publicação.

Palácio do governo Municipal de Juazeiro do Norte, cm 24 de Julho de 1973.
  
Dr. Mozart Cardoso de Alencar
PREPEITO MUNICIPAL

Prof. Alexandre Moreira Passos
SECRETARIO GERAL DE ADMINISTRAÇÂO
Partitura do Hino de Juazeiro, da autoria de João José da Silva


2 comentários:

IDERVAL TENÓRIO disse...

ZÉ PRAXEDES



Dando continuidade à pagina literária de minha raíz, postarei uma poesia do grande Zé Praxedes, obra que muito marcou no Cariri Cearense a vida daquela juventude sedenta por saber, ao mesmo tempo faço pequenos agradecimentos aos homens que plantaram a pura e verdadeira cultura na hora certa e para as pessoas certas.
Acredito que pela pureza destes baluartes do Rádio Caririense, os mesmos não tinham idéia e nem percepção da importância dos seus atos para o futuro do seu povo ao recitarem despojadamente, os grande poetas populares do século .
Como Deus ao lançar a sua luz para todos do Universo sem distinção, estes baluartes nos seus programas matutinos lançavam esta providencial cultura a todos que tivessem ouvidos e consciência para saborear.

Aproveito o encejo e envio para ser saboreada uma poesia por demais conhecida pelos cancioneiros nordestinos. Nós aí do Cariri ouvíamos todas as manhãs o grande Eloy Teles de Morais plantar e dividir os frutos com todos os privilegiados que tinham acesso à Radio Araripe do Crato .
Acho inclusive que nós do Cariri deveríamos prestar uma homenagem a todos os ícones do Radio Caririense que transmitiam cotidianamente estas pérolas enriquecendo a nossa cultura, não sei se os mesmos tinham a noção da grandeza , da importância ao transmitir para o futuro da juventude nordestina aquelas enxurradas de cultura , transmitidas cotidianamente pelas ondas curtas e sonoras das Radios AM.
A nossa infância e a nossa juventude fazem parte do rol das melhores do mundo, pois nascer na Serra do Araripe ou no seu pé, conviver com Eloy Teles, Luiz Gonzaga, Patativa do Assaré, Pedro Bandeira de Caldas, João Sobreira( O LAMPIÃO), Alcely Sobreiras, Daniel Walker , Cego Oliveira e uma plêiade de nomes do mais alto cabarito é privilégio de poucos, ainda por cima na terra do Padre Cícero Romão Batista(JUAZEIRO DO NORTE) por onde peregrinou o grande Frei Damião.
Bela infância, abençoada juventude.
Obrigado a Eloy Teles de Moraes pelas aulas de cultura reverberadas para quem quisesse ouvir.
Um abraço- Iderval Reginaldo Tenório

IDERVAL TENÓRIO disse...

DOUTOR INTÉ OUTRO DIA

Doutor inté outro dia
basta você precisar
um criado às suas ordens
na Serra do Jatobá

Pros almoço tem galinha
tem quaiada pro jantar
água cheirosa de tanque
pra vosmecê se banhar

Leite quente ao pé da vaca
quando o dia amanhecer
café torrado no caco
de quando invez pra você

Aguardente potiguar
caso goste de beber
capim mimoso verdinho
pra seu cavalo comer

Pra vosmecê fazer lanche
mel de abelha com farinha
tem da fonte milagrosa
água fria na quartinha

Pra vosmecê se deitar
uma rede bem arvinha
leve tombém sua muié
proque lá só tem a minha
(Zé Praxedes)