sábado, 21 de julho de 2012


Da humilhação à consagração: um milagre aconteceu!
Daniel Walker
Antes de ser o que é hoje, Juazeiro era tratado como: “vileza que nunca será vila”, “terra de fanáticos e cangaceiros”, “cidade que nasceu sob o tropel do banditismo”, “terra guiada por satanás”, “antro de banditismo”, “coiteira de Lampião”, “tapera”, “lugarejo retrógrado”, “corja de bandidos, assassinos e desordeiros”, “espécie de Sodoma e Gamorra”, “terra clássica de preguiçosos que ameaça de extermínio, de destruição, saques e roubos a cidade de Crato”, “fim do mundo”, “terra sem futuro”, “a vergonha do Ceará”, “terra de embuste”, “cidade miserável”, “sede do bandistismo”, “ninguém no Crato dorme tranquilo tendo Juazeiro como vizinho”, “cidade sem  a menor condição de ter um shopping”, “se tiver uma faculdade de Medicina esta não dura um mês”, “cidade onde mora um cangaceiro de sotaina”, “terra de hereges”, “terra amaldiçoada”, “caldeirão do inferno”, “terra dos falsos milagres”... dentre muitos termos pejorativos, alguns proclamados categoricamente por habitantes de Crato, Barbalha, Fortaleza e outros até por pessoas aqui mesmo residentes, falsos juazeirenses hipócritas que não gostam daqui mas se locupletam aqui. É o tal negócio: não gostam da cidade, mas gostam do que ela dá. Mas o Juazeiro Centenário já deletou da sua memória  os ataques dos seus inimigos gratuitos. E fez mais, confiou na profecia do Padre Cícero (“depois da minha morte é que Juazeiro vai crescer”) e o resultado que hoje exibe, ao completar 101 anos, é que a vileza se transformou em vila e depois em cidade, uma grande cidade;  o shopping deu tão certo que foi ampliado e mais um está sendo construído; a faculdade de Medicina já tem mais de dez anos e outra poderá funcionar brevemente; o polo universitário é o maior do interior nordestino; o que era fanatismo hoje é turismo religioso; comércio e indústria se expandiram; aqui não é o fim do mundo, mas um lugar de onde se vai de avião para qualquer lugar do mundo; e o Padre sim, faz milagre de verdade, e Juazeiro é um exemplo, e por fim, é bom, sim, muito bom mesmo, ter Juazeiro como vizinho, pois aqui tem de tudo. Ou, como disse o Padre Cícero:
          “Aqui tem coisa que em nenhuma outra parte do mundo tem”.


COMENTÁRIOS:

  • 35 compartilhamentos

    • Ediie Krdozo E mesmo morando longe e não sendo filho da terra, confesso que tenho uma grande paixão por Juazeiro. Ótimas palavras, Daniel.
      há 12 horas · 

    • Lu Bezerra Saudade grande Daniel Walker!!! Owww saudade da terrinha querida!!!
      há 12 horas · 

    • Cris Vitorino Parabéns meu professor querido Daniel Walker, pelo texto, parabéns Juazeiro do Norte pelo seus 101 anos e a todos juazeirenses.
      há 11 horas · 

    • Geiza Ribeiro Parabéns, mto bem colocado o seu ponto de vista, assino em baixo suas palavras.
      há 10 horas · 

    • Cildo Menezes 
      Realmente! Juazeiro se desenvolveu e ganha ares de metrópole... Entretanto, precisa se livrar dos maus políticos que se instalam apenas com o intuito de seus interesses, nunca os da "Terra da Mãe de Deus". Não podemos esquecer que parte do...Ver mais

      há 10 horas · 

    • Celia Marques Parabens Daniel, vc sempre soube escolher as palavras certas, é um homem sabio.
      há 10 horas · 

    • Parabéns!!!
      há 9 horas · 

    • Herllon Ravache Apesar de ainda possuir alguns bandidos bem vestidos...
      há 9 horas · 

    • Fatima Gomes Concordo com você Daniel, continua mostrando a verdadeira Juazeiro.
      há 2 horas · 


      • Raimundo Nonato Alencar Dantas Juazeiro (não é um, são todos) só existe nos laços eternos do CARIRI (Canaã do Nordeste).
        É só uma cidade... um mero perímetro urbano que se amplia?
        Não tire precípites ilações, faça, se desejar, mas após LER (ler mesmo) o texto em Minhas Anotações (adiante em NOTAS).
        Leia outros textos isentos de versões acusatórias gratuitas, letras mirabolantes...
        Procure encontrar o pecado, aponte... salve o pecador, é o caminho - era o "conselho" de Cícero.
        O que avança é a unidade na multiplicidade dos corações.
        E se for o caso conte, reconte em seus espaços (ou dê espaço)...
        Não se instala direito de autor no que fala de Cícero - homem universal ao divulgar e ensinar o Rosário.
        Toda reza é caminho de Cristo... recitação de Paz-Fé-Amor, respeitadas as vocações cosmopolitas. Não há Luz sem Cristo e os Iluminados... Não é difícil o viver "ecumênico".
        O direito à crítica seria do "pregador" do Bem, evitando a diatribe e entendendo os elementos de seus conceitos - não se define sem conhecer.
        Leia (amplie), ofereça a sua paciente visita. É uma síntese. Põe relevo na "união" e no "perdão" (para si - quem atira a primeira pedra? - e para o semelhante; ninguém é dono da Verdade).
        Foi assim que se fez Juazeiro (do Norte) - sem ressentimentos, uma terra de Fé e Oração. Terra de "irmão", meu Irmão!
        Ontem às 09:41 ·  · 2
      • Océlio Teixeira de Souza Parabéns Juazeiro, terra de romeiras e romeiros, de desenvolvimento e progresso. Que o Criador derrame sobre seus filhos muita paz, saúde e amor. VIVA O JUAZEIRO DO PADRE CÍCERO.
        há 23 horas ·  · 1
      • Ionaldo Teles Terra abençoada.
        há 21 horas · 
      • Parabéns Juazeiro do Norte!
        há 17 horas · 
      • Parabéns!
        há 9 horas · 


Um comentário:

Dr. Paulo Leonardo Celestino disse...

Brilhante! Permita-me repercutir o texto no Cidade Juá!