sábado, 11 de dezembro de 2010

Bairro do Horto: favelização iminente

Há algum tempo quem olhava para a Serra do Horto via apenas uma rua chamada popularmente de Rua do Horto ou Rua do Caminho do Horto. Era uma única rua que começava depois da Areia Grossa (hoje Avenida Lindalva Fernandes) e terminava no início da subida do Monumento do Padre Cícero. Mas isso era antes, pois agora o cenário é completamente diferente, como mostra a foto acima. O local cresceu muito em urbanização e foi transformado em Bairro do Horto. Mas infelizmente já é possível constatar que o processo de urbanização avança de forma descontrolada, e assim corre o riso de favelização e o mais grave: como as casas são construídas em terreno íngreme poderá haver em época invernosa o risco de desabamento, idêntico ao que ocorre todo ano em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e outras cidades onde têm casas construídas em morro. Está no tempo, portanto, de se pensar num planejamento para aquela área tão bonita e tão histórica de Juazeiro.

Um comentário:

IDERVAL TENÓRIO disse...

Amigos
Juazeiro do Norte, o terceiro PID do Ceará e a mais importante cidade do Nordeste do circuito da Fé e encastoada no Sertão Semi árido ,está fadada a um desastre populacional em verdadeiras favelas se urgentiemente os gesteores não dirigirem pesadas verbas no saneamento,no emprego formal e no acolhimento aos que no fim da vida procuram Juazeiro para o descanso. A desigualdade social é muito grande,os empregos são precarizados e as remunerações muito abaixo dos mesmos no Sul do País, n o Juazeiro trabalha-se apenas pelo pão,nesta terra Santa a distancia entre os ricos e os ´pobres é muito grande. Senhores que a Educação seja prioridade,que a Saúde passe a ser um tema importante e que o emprego seja formal,oficial e do ponto de vista trabalhista regimental.O fato importante é que não deixem que as grandes empresasd invadam o Juazeiro e os pequenos comerciantes cerrem as suas portas,desemepreguem os seus funcionários e a sua familia,passando a engrossar a fileira dos desempregados,que venham os grandes mas que façam o reinvestimento na região ou na cidade criando novas industrias.De nada adianta um grande PIB se os dividendos e os lucros são trasnferidos para os grandes centros, a economia não toca o moinho regional e sim vão direto paras as suas matrizes. Um abraço forte de um Juazeirense que olha por Juazeiro.Iderval Reginaldo Tenório http://www.iderval.blogspot.com