sábado, 6 de novembro de 2010

Romaria de padre Cícero: sacrifício em vão.


Em Juazeiro, branquinha, lá no topo da Serra do Horto se encontra a estátua do renomado padre Cícero Romão Batista (1844-1934), denominado de maneira carinhosa "padin Ciço".
A romaria que acontece nesse mês de Outubro, espera receber 2 milhões de devotos, pessoas provenientes dos lugares mais remotos do Brasil, muitas fazendo sacrifícios, pagando promessas, algumas subindo os degraus de joelhos.
A igreja católica não o reconhece oficialmente como um "santo", mas também não se opõe a toda essa fé popular e sincrética, segundo relatos de quem participou dessa festa, até incentivam toda essa parafernália, pois traz as romarias ao Padre Cícero são vantajosas para todos. A Igreja Católica, os empresários, os políticos e todos os setores da sociedade juazeirense são beneficiados pelo grande fluxo de dinheiro trazido pelos consumidores desse sacerdote que literalmente abarrotam as ruas e praças dessa cidade. Muitos foram ao Juazeiro e decidiram nunca mais retornar para suas casas. Vivem hoje amontoados em barracos nas periferias dessa cidade, mas felizes por estarem próximos do seu "santo padre". Muitos humildes retornam para seus lares famintos. Dentro de suas geladeiras quebradas encontram-se caçarolas vazias, sobre os fogões a lenha apenas panelas de feijão requentado, e seus filhos estão desnutridos. Mas no próximo semestre retornarão ao Juazeiro. São esses fiéis ingênuos que alimentam e enchem os bolsos daqueles que promovem a "indústria" de Padre Cícero.
O que este povo em sua totalidade ainda desconhece é que toda essa fé é em vão, e não encontra amparo nas Escrituras Sagradas, pelo contrário, encontra reprovação:
"Não fareis para vós outros ídolos, nem vos levantareis imagem de escultura nem coluna, nem poreis pedra com figuras na vossa terra, para vos inclinardes a ela; porque eu sou o SENHOR, vosso Deus" (Levítico 26.1).
Qualquer pessoa que de livre e espontânea vontade estudar as escrituras vai perceber que até mesmo a adoração aos anjos é proibida.
E eu (João) lancei-me a seus pés (do anjo) para o adorar; mas ele (o anjo) disse-me: Olha não faças tal; sou teu conservo, e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus. Adora a Deus; (Apocalipse 19:10)
Pedro (que os católicos chamam de São Pedro), quando percebeu que Cornélio (oficial romano) se prostrou aos seus pés para o adorar, disse.lhe: - "Levanta-te, porque eu também sou homem" (Actos 10:25-26).
Paulo e Barnabé (São Paulo e São Barnabé), na cidade de Listra perceberam que o povo crédulo e ignorante daquela cidade se ajoelharam diante deles por causa do milagre que tinham feito em nome de Jesus. Em protesto rasgaram os seus vestidos e disseram: - nós somos homens, deveis adorar o Deus vivo que fez o céu e a terra (Actos 14:14-16).
Não podemos render preces à anjos ou homem algum, mesmo que estes sejam denominados "santos", o que por sinal é outro têrmo deturpado pela igreja de Roma, pois "santos" serve para designar os cristãos, e não exclusivamente pessoas em particular, que teriam poderes mágicos ou milagrosos. Para quem não acredita, estude a Bíblia.
Só lamentamos pelos milhões que irão até Juazeiro, adorar uma escultura fria, morta, sem vida, mera imagem que em si mesma não tem poder para nada, como não tinham poder nenhum dos mortais que viveram sobre esta terra, com exceção de Jesus Cristo, este sim, único digno de ser adorado, venerado e principalmente seguido, pois este é o sacrifício que Deus requer: que as pessoas sigam seus preceitos e mandamentos, porque viver no pecado, e depois subir escadarias mutilando o corpo, de nada serve. Deus está distante da romaria de Padre Cícero, e para ele está festa é uma afronta a sua santidade.
Nessa festa alguns cristãos evangélicos estão presentes, a exemplo da igreja Batista da qual faço parte, onde nas estradas, barracas são armadas para atender a fome e a sede e o cansaço dos romeiros. Nesses locais são prontamente atendidos, e sua fome, sede e cansaço físico e espiritual são devidamente nutridos, alguns de fato, desistem do sacrificio vão. Como aquela mulher samaritana que ao encontrar Jesus no poço perguntou qual seria o lugar de adoração (templo de Jerusalem ou o Monte onde os Samaritanos adoravam), ouviu de Jesus:
nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos; porque a salvação vem dos judeus.as a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem (João 4:22-24).
Que Deus envie seus mensageiros para abrir os olhos desses romeiros, que eles possam conhecer que a adoração que Deus requer não é ritualistica, mas real.
Oremos por este povo, e pelos missionários que lá estarão.

NOTA DO EDITOR DO BLOG DO JUAONLINE: Esta matéria está no:
 http://ismaelmoura.blogspot.com/2010/10/romaria-de-padre-cicero-sacrificio-em.html
É de um pastor evangélico e certamente não é de Juazeiro.

Um comentário:

IDERVAL TENÓRIO disse...

Amigo Daniel.
Bo mes de julho enviei ao Blog um artigo meu falando exatamente da força que exervem os não católicos sobre a Cidade de Juazeiro do Norte.Falei que a Igreja Católica prega a pobreza e a miséria, falei também que se exalta a feiura e a fome, quanfo Deus prega a humildade,a beneficencia,a compaixão e a solidariedade, desejando a todos barriga cheia,um teto,educação e saúde.As missas deverão contemplar os cidadãos comuns como nós pecadores e pregar a perseverança,a igualdade,a fraternidade e a liberdade plena.Que Deus nos ouça com mais alegria. Iderval Reginaldo Tenório http://iderval.blogspot.com