sábado, 31 de agosto de 2013

PHARMÁCIA DOS POBRES, CENTENÁRIA - Renato Casimiro


Neste dia 31 a Pharmácia dos Pobres está completando o seu primeiro centenário. Foi fundada por José Geraldo da Cruz (foto) em 31.08.1913. Ocupa o mesmo tradicional endereço (foto) no qual se estabeleceu desde o início, sem solução de continuidade. Especializou-se no início através de uma prática farmacêutica de manipulação. Dispunha de princípios ativos (foto) com os quais atendia aos clínicos da região, preparando os medicamentos. Seu fundador e proprietário era um homem completamente leigo em matéria de química e farmacotécnica. Mas um homem muito inteligente que foi buscar na prática da medicina caseira os elementos que permitira formular e produzir. Dois produtos foram os mais destacados: o denominado Bálsamo da Vida e Seiva de Jatobá e Agrião. O Bálsamo da Vida é indicado para uso interno (inflamação do fígado, cólica do estômago e intestino, dispepsias, afecções gástricas, boca seburrosa, excessos alcoólicos e todas as afecções do trato gastrointestinal) e também para uso externo (raladuras, queimaduras e ferimentos, sendo ótimo cicatrizante). Já a Seiva de Jatobá e Agrião era um fortificante para os pulmões, evitando também a tosse e a rouquidão; combatia a gripe e como tal protegia contra a infecção que levaria o indivíduo à tuberculose. Em 1946, com o retorno de sua filha Marieta Estácio da Cruz (foto), formada em Farmácia na Faculdade Nacional de Farmácia, da Universidade do Brasil, hoje UFRJ, a organização passou a contar com uma técnica que soube dinamizar as atividades da Pharmácia. Por um longo período, a Pharmácia foi um dos locais mais concorridos, pois seu proprietário ingressou na política partidária, elegendo-se prefeito municipal por várias legislaturas. Pertenceu à velha UDN e foi o responsável pelo ingresso de diversas gerações de juazeirenses na política, tendo estes alcançado elevados postos na vida pública da cidade, do Estado e do país. Nesta oportunidade em que a família de José Geraldo da Cruz festeja data tão expressiva, desejamos cumprimentar a todos pela grandeza da data, uma vez que a organização continua existindo e produzindo o seu principal produto que, ao longo dos anos, tornou-se um medicamento muito respeitado por seus usuários.
PHARMÁCIA DOS POBRES, CORDEL
Como parte das comemorações do Centenário da Pharmácia dos Pobres, a poetisa Maria do Rosário Lustosa da Cruz está lançando, com o apoio da organização um cordel alusivo à longa existência da empresa. Tomamos a iniciativa, em acordo com sua autora, para reproduzir aqui o seu texto e ilustração da capa.







2 comentários:

Antonio Amorim Ce disse...

Sou fã deste bálsamo da vida que já está entre nós a tantos anos e sempre cumpriu o que prometeu. Eu gostaria de sugerir ao ilustre pesquisador que o mesmo procurasse um "jingle" do bálsamo da vida, em forma de cantoria, me parece na voz do cantador Pedro Bandeira, que escutei por muitos anos nas ondas do rádio aqui de Juazeiro. Se conseguisse ao menos a letra já seria ótimo porque era uma propaganda simples, rápida e eficiente.

josé Leite de Souza disse...

Farmácia dos Pobres

Sua história não é a de uma simples farmácia centenária, nos primeiros 50 anos de sua existenci, naquele mesmo recinto, foram decididos vários fatos políticos qe mudaram a historia de JUZEIRO.

Parabens para o fundador, o saudoso José Geraldo da Cruz e sua familia.


José Leite de Souza - Ilhéus-Ba