segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Reflexões sobre o último pleito

A eleição de Arnon Bezerra para prefeito de Juazeiro do Norte dá motivo para uma série de reflexões sobre a política juazeirense, entre as quais destaco as seguintes:
- o pleito ocorreu com tranquilidade;
- o cancelamento das passeatas do último dia de campanha, por parte da Justiça Eleitoral, foi uma medida sensata, como forma de frear as animosidades já existentes entre os candidatos;
- pesquisa eleitoral influi nos resultados sim;
- quem não ficou no topo da lista, em vez de desqualificar a pesquisa afirmando que a mesma foi manipulada, o melhor é reorganizar a estratégia de marketing e partir para a luta com mais tenacidade;
- assim como acontece no futebol, uma eleição pode ser decidida no último lance;
- gastar muito dinheiro na compra de votos nem sempre dá garantia de vitória;
- arrogância e cantar vitória antes do tempo são atitudes imprudentes e podem desencadear uma derrota;
- todos esperavam que a vitória de qualquer um dos dois candidatos empatados tecnicamente na última pesquisa seria muito apertada, mas não foi isso o que aconteceu, pois eleição será sempre uma caixinha de surpresa;
- Arnon será um prefeito que assumirá o cargo sem pensar em ser depois candidato a deputado, pois já teve esta experiência várias vezes como deputado estadual e federal;
- se o candidato eleito quiser encerrar sua vida política, poderá fazê-lo, deixando o mandato como o melhor prefeito de Juazeiro, depois do Padre Cícero, pois poderá administrar o município sem a preocupação principal de agradar os eleitores, pensando em se eleger deputado. 
- como conhece Brasília muito bem, pois vive lá há mais de 20 anos, o futuro prefeito de Juazeiro sabe onde e quem procurar  para trazer os recursos para realizar as obras que o município precisa;
- Arnon já foi informado de que Juazeiro não suporta mais modelo de administração do tipo assistencialista, em que os eleitores são priorizados em detrimento do município;
- sabe também, que a cidade tem que seguir o rumo da modernidade, caminhando junto e em parceria com a iniciativa privada;
- para o candidato Gilmar Bender, ter recebido o apoio do PT não foi certamente um bom negócio. Além de não ter contado com o apoio integral da sigla, pois muitos optaram  seguir Arnon, ainda teve o agravante  da mudança do vice a poucos dias da eleição;
- também pode não ter sido um bom negócio, do ponto de vista de marketing, ter usado o ex-presidente Lula como garoto propaganda, porquanto a estrela vermelha do PT está desbotada, e Lula não é mais aquele líder que tinha poder para eleger até mesmo um poste. Em outros locais do Brasil, muitos candidatos pelo PT preferiram tê-lo longe.
-  ninguém se engane, o eleitorado juazeirense ora age por emoção ora age pelo coração, mas só se sabe quando isso vai acontecer, no dia da eleição;
- no caso da vitória de Arnon, parece que os eleitores agiram com o coração e preferiram dar a vitória àquele que eles achavam ser realmente o melhor representante da juazeiricidade ou juazenricidade;
- não é  prudente criticar o vencedor, apontado seus possíveis defeitos, pois os derrotados também os têm. O melhor, até mesmo por uma questão de educação e civilidade, é parabenizar o vencedor e lhe desejar um bom desempenho na função porque assim  todos saem ganhando;
- ainda há espaço em Juazeiro para um candidato a vereador se eleger ou se reeleger sem necessariamente ter de gastar um absurdo de dinheiro. Basta ser conhecido e ter boa proposta, ou, quando vereador ter realizado um bom trabalho, a ponto de ser reconhecido pela população. Muitos conseguiram isso;
- e por fim, juazeirense não é só quem nasce aqui, mas todos aqueles que aqui vivem, gostam da cidade e a querem ver grande e próspera. Sendo assim, todos os candidatos que pleitearam a eleição são juazeirenses. 

Vamos todos, pois, desejar ao novo prefeito um feliz mandato. Juazeiro do Norte está precisando de uma alavancada administrativa e o novo prefeito só fará isso se puder contar com o apoio da população. Toda a população. Derrotados, terminou o voo em busca da vitória, baixem o trem de pouso, façam uma boa aterrissagem, se não quiserem ajudar o novo prefeito, pelo menos o deixem trabalhar. Daqui a quatro anos teremos um novo pleito eleitoral. E quem quiser vai concorrer de novo.   

2 comentários:

Fatima Ribeiro disse...

Parabéns pelo comentario,vamos rogar a Deus que nosso prefeito cuide de nossa cidade como ela merece.

Valdizia Nobre disse...

Ótimo e sensato comentário! Vamos todos torcer pata que nosso novo prefeito corresponda a confiança que o povo nele depositou.