domingo, 6 de janeiro de 2013

Pensar grande! - Paulo Leonardo Celestino


                Recentemente assisti a uma entrevista no programa Jornal da Tarde da FM Pe. Cícero onde o jornalista Luís Palmeira conversou com o historiador prof. Daniel Walker sobre suas expectativas quanto à nova administração municipal e ao futuro de Juazeiro do Norte. Com a autoridade de quem conhece como poucos toda a rica história da terra do Pe. Cícero, Daniel Walker afirmou: “Juazeiro tem que pensar grande”!
                Suas sábias palavras convergem com a nova realidade da cidade e são um contraponto ao costumeiro discurso dos prefeitos de governos fracassados. Segundo eles, a prefeitura não tem dinheiro para construir grandes obras. Contudo, nunca se arrecadou tanto em Juazeiro do Norte. Nos últimos anos várias empresas nacionais e até internacionais desembarcaram por aqui mesmo sem nenhum incentivo fiscal.
                Lembro que na minha infância, quando Juazeiro ainda não tinha faculdades, hipermercados e muito menos shoppings, consegui acompanhar a construção do Memorial Pe. Cícero, do Ginásio Poliesportivo e da recente rodoviária. Por que agora o prefeito não consegue concretizar nem mesmo uma simples praça ou estacionamento?
                Muitos apelam para a Lei de Responsabilidade Fiscal a fim de encontrar a desculpa ideal para a incapacidade de investimentos públicos. Mas se fosse assim, o país inteiro estaria completamente parado. Falta mesmo é boa gestão dos recursos, como também um trabalho em conjunto de todos os representantes do povo, sejam de situação ou oposição. Infelizmente, as divergências pessoais dos políticos inviabilizam verbas e prejudicam toda a cidade.
                Juazeiro do Norte necessita de obras arrojadas e funcionais. Construir para realmente somar: O “Luzeiro do Sertão”, por exemplo, é grandioso mas permanece subutilizado. Juazeiro precisa de viadutos, túneis, melhor transporte público, corredores exclusivos de ônibus, um aeroporto condizente com sua movimentação de passageiros, saneamento básico e preservação do meio ambiente através da ampliação do Parque Ecológico das Timbaúbas.
            Todos temos que pensar grande! Pensar igual aos grupos Walmart, Carrefour e Pão de Açúcar, às concessionárias nacionais e internacionais, enfim, a todos os investidores que acreditaram na pujança e transformação desta cidade especial abençoada pelo santo padre.
                Neste momento de uma nova gestão municipal, que todas as forças políticas se concentrem no desenvolvimento de Juazeiro do Norte, onde o bem coletivo prevaleça sobre os interesses pessoais. Será isto possível? Ou será apenas uma ingênua ideia de um jovem escritor?


5 comentários:

Mauricio Xavier disse...

Não seria o caso de os Prefeitos se focarem na Região Metropolitana do Cariri, e, através dela, construirem as "Grandes Obras" de que precisamos?

José Leite de Souza disse...

O "LUZEIRO DO SERTÃO" que chamo-o de "A TORRE EIFFEL DE JUAZEIRO", na época das festas natalinas, festa da padroeira e outras... Deveria ser decorado e iluminado com lâmpadas coloridas, acredito que seria uma bonita atração. Se a prefeitura não tem verba, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), junto com à Associação Comercial deveria fazer uma campanha assumindo esse projeto.

José Leite de Souza
Ilhéus - Bahia

GREGÓRIO DE MATOS disse...

Sobre o VLT do Cariri, por exemplo: Cadê a integração? Não seduz a população, esperar no mínimo, trinta minutos nas estações. Se há apenas uma linha (deveria ser dupla), ter mais trens com mais pontos bifurcados, como acontece na estação São José, reduz tempo entre composições, seria a solução. Faltam estações em pontos estratégicos, em frente à faculdade de Direito da URCA, por exemplo. Param de rodar muito cedo: Às 20 horas e não há nos finais de semana, a operação só vai até o sábado às 14 horas!O transporte público no Cariri é caótico. Precisam-se de administradores sensíveis, à necessidade da população. Não é certo que as vans e os ônibus andem lotados no mesmo sentido do trem, e, esse trem com ar-condicionado, com a passagem mais barata, ande vazio... No calor que faz no Cariri, alguma coisa não está batendo; não acham?Na região Metropolitana do Recife, o Governador Miguel Arraes, criador do PSB, avô do Governador Eduardo Campos, do mesmo partido do Ex.mo Gov.Cid Ferreira Gomes, criou em 1996 o SEI (SISTEMA ESTRUTURAL INTEGRADO), a integração feita nos terminais entre metrô e ônibus e entre ônibus e ônibus, sem dúvida só trouxe avanços, otimizando linhas e deixando as passagens mais baratas. Em Fortaleza, O Prefeito Roberto Cláudio quer criar um sistema ainda melhor, que é a integração temporal. Na Região Metropolitana do Cariri (só de nome), os ônibus são sucateados e praticamente não existem abrigos nas paradas de ônibus... Sinceramente, eu nem sei como Juazeiro do Norte cresce tanto! Milagre do Pe. Cícero ou investimento do setor privado? Porque se dependermos do público... Deus nos acuda! Por exemplo, temos um solo do tipo massapé, extremamente fértil, e muita água (por enquanto com lençol freático sendo poluído pela falta de saneamento, provado pela própria fedentina dos Rios que cortam a região, a exemplo, o Salgado), onde está a fruticultura irrigada? Tirando o projeto de bananas em Missão Nova, onde mais? Mas, tem-se um prédio da CEASA subutilizado, mais um “elefante branco”! Temos pontecial para investir na fruticultura e gerar milhares de empregos diretos e indiretos... Cadê? Capital da fé que nem tem guia turístico... Não entendo! E por aí vai... Por que Petrolina-PE cresce tanto? Ali há a família Coelho, a mesma do ministro da integração que ama aquela cidade, e traz grandes investimentos; A PB tem Campina Grande que é um centro tecnológico na área de informática, desenvolvendo software; a BA tem Vitória da Conquista que é um exemplo de pujança; o RN Mossoró com suas fontes termais, sal e petróleo; O PI Parnaíba que tem até aeroporto Internacional; O MA Imperatriz; E por aí vai... E Juazeiro do Norte têm: Raimundo Macedo com política assistencialista, Manoel Odorico Santana, Demontier do Jornal para limpar o... Vidro do espelho de casa, Salviano Praciano e suas obras inacabadas, Carlos Cruz o bebão, José Gavião Guimarães... E a gente com cara de panaca, elegendo até uma câmara de vereadores de gangsteres! Quem dá mais? Dou-lhe zero, zero e zero, Juazeiro vendido por mais quantos anos? Que corja, que vergonha! OLHA O ESGOTO... HAHAHA

GREGÓRIO DE MATOS disse...

Gostaria de dizer que em Juazeiro do Norte, no bairro do triângulo, O viaduto até que é necessário, porém, não é prioritário, face ao descaso da falta de saneamento básico da nossa cidade; pensem: Quanta custaria esse viaduto, e quanto custaria para sanear por completo a nossa cidade? Será que com o advento dessa obra poderíamos economizar com gastos hospitalares? E quanto se ganharia com qualidade de vida? E quanto se ganharia no turismo e no mercado imobiliário? É uma questão de reflexão, pois prioridade é o saneamento; isso é certo! Prioridade também é abrir licitação para criação de novas linhas e atração de novas empresas de ônibus, tirando a VIAMETRO do Grupo Guanabara, ninguém aguenta mais a Lobo, São Francisco e Bom Jesus do Horto, esperando “debaixo do sol quente”, pois dificilmente, se tem abrigo nas paradas e a demora dos coletivos é enorme, integrando - as ao trem do Cariri, que está subutilizado, como fez Miguel Arraes em 1996 na Capital Pernambucana, criando o SEI (Sistema Estrutural Integrado). Prioridade são o alargamento e criação de novas avenidas para a fluidez adequada do trânsito, proibindo o estacionamento de carros nas Ruas Pe. Cícero e São Pedro, pois sobraria espaço para o alargamento das calçadas, faixa exclusiva para ônibus e alternativos, ainda duas para carros e de quebra um faixa menor para ciclistas... Retirada dos alternativos, que vem de outras cidades e estaciona no centro, sobrando mais vagas nas transversais, como a Rua Clóvis Bevilacqua, a cidade recebe pelo menos 350 carros do tipo, nesse caso, criar-se-iam um terminal para essa finalidade, donde ficariam os ônibus municipais, intermunicipais e alternativos, também na região do Centro de Apoio aos Romeiros, e três edifícios garagem para veículos oriundos das principais avenidas do centro, e que não mais pudessem estacionar... Além das Secretarias que logo estarão por lá, toda essa estrutura, incrementaria o comércio ali, que por enquanto está como um “elefante branco”, melhorando a infraestrutura da região! Prioridade também é a Limpeza Pública adequada, pois vivemos em meio a uma cidade imunda, de um povo ainda inconsciente pela sua própria natureza romeira de ser, se bem que o Pe. Cícero era um ambientalista... Ainda se criam porcos em algumas residências e entulhos há por toda parte!Melhorar a estrutura dos hospitais já existentes, o Maria Amélia, por exemplo, é um hospital infantil que não tem pediatra e a Maternidade São Lucas não tem nem mesmo ar-condicionado... O Tasso Jereissati é um Deus nos acuda, faltam desde remédios a ambulâncias com U.T. I! E a Saúde Bucal? Se não fosse o CEO do Estado? Ainda sim, não está acessível à população que não sabe nem mesmo como ter atendimento nesse centro! Sem contar, que investir em Segurança Pública é dar oportunidade aos nossos jovens para que não sejam cooptados pelas drogas, ali, por trás do HIPERBOMPREÇO, se vê crianças jogando pelada no estacionamento dos caminhões porque não há se quer uma escolinha de futebol, tampouco de música ou balé... Por acaso Ronaldinho começou em um grande time? Veio de família rica? Mas, se não tivesse apoio o que seria, tendo apenas a 7ª série do fundamental? Ruas escuras por toda parte... Enfim, a situação tem um perfil macabro e vergonhoso, e ainda dizem que são devotos do Pe. Cícero e aqui é a terra da mãe de Deus? Pode? Imagino a Serra do Horto toda reflorestada principalmente com Ipês... Ficaria lindo! Agora é necessário o Viaduto? Acredito que sim. Assim como, um também ligando as Av. Carlos Cruz com Ailton Gomes, por cima da linha do trem do Cariri, passarelas, etc. Porém, cuidemos das prioridades e depois das necessidades!

GREGÓRIO DE MATOS disse...

Bancos de praça, por exemplo, deveriam ser apenas envernizados, sem cor de bandeira ou partido! Mas... Bem pior do que esse vermelho da involução monocrática do Odorico 13 foi sua gestão sem compromisso. Ficará para história! Não será fácil esquecer, que até nos postos de saúde faltavam, geladeiras para acondicionar adequadamente as vacinas. Pasmem! Espero, também, que a nova gestão do Sr. Raimundo Macedo, não lembre nem de longe a sua primeira administração... Bem parecida com a do vermelho comuna! Pois caso aconteça, teremos uma das maiores crises políticas da história dessa cidade, que recebe tanta gente de braços abertos.