segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Sepultamento simbólico da Beata Maria de Araújo

Segundo informou a Assessoria de Imprensa da Prefeitura, o sepultamento simbólico da Beata Maria de Araújo se constituiu em um dos últimos atos da programação pelos 100 anos de morte da religiosa em Juazeiro do Norte. O prefeito Raimundo Macedo liderou uma caminhada entre a Praça Padre Cícero e a Capela do Socorro reunindo profissionais liberais, historiadores e pesquisadores sobre a história dos fatos miraculosos ocorridos a partir de março de 1889 no município. No início daquele mês a hóstia transformou-se em sangue na boca da Beata Maria de Araújo quando Juazeiro se tornou a Meca do Cariri. Ela morreu no dia 17 de janeiro de 1914 e, em 22 de outubro de 1930, ocorreu a violação do seu túmulo na Capela do Socorro quando os restos mortais sumiram, deixando o Padre Cícero muito abalado. Além do sepultamento simbólico, foi descerrada uma placa colocada pela Secretaria de Cultura e Romarias em alusão aos 100 anos de morte da protagonista dos milagres. Houve ainda missa em sufrágio de sua alma, apresentações de grupos folclóricos e a exibição do filme “Milagre em Juazeiro”. No cortejo, a urna foi conduzida pelo professor Jeová Sobreira à frente de um carro andor com flores, a imagem da religiosa e a bandeira de Juazeiro acompanhado pela Banda de Música Padre Cícero. Em seu discurso, o prefeito Raimundo Macedo apontou a Beata Maria de Araújo como uma das pessoas mais importantes do município. Já o professor e cronista Geraldo Menezes Barbosa observou que, 100 anos depois, existe a mesma fé, respeito e determinação de levar adiante a história de Juazeiro que nasceu do sangue derramado no seu chão sagrado.

Um comentário:

Jose Leite disse...

O primeiro sepultamento da BEATA MARIA DE ARAUJO foi na parte interna da capela, e foi violada. O segundo sepultamento foi fora, numa cova sem a minima segurança. Oh! Meu Deus, fazei com que nada aconteça com essa urna.

José Leite de Souza
Ilheus - Bahia